Da Malbec à Petit Verdot – as espetaculares uvas de Mendoza| Descobertas Essenciais | Clube Wine | Wine.com.br

É um fato conhecido que a Malbec é a rainha das uvas argentinas, ocupando 35,67% dos vinhedos do país, o que equivale a mais de 40 mil hectares cultivados. Mas, levando em conta que Mendoza é a terra dos vinhos, considerada uma das capitais mundiais da bebida pelo Great Wine Capitals, a região certamente reserva espaço para outras uvas que também merecem destaque.

As tintas, claro, predominam: representam cerca de 54% da produção de Mendoza. Seguida da Malbec, vem a Bonarda, que ocupa 16,84% dos vinhedos. Na sequência, vem a Cabernet Sauvignon (13,56%) e a Syrah (11,27%). Ainda fazem parte da família tinta mendocina a Merlot, a Tempranillo e, com menos expressão, Pinot Noir, Tannat e Cabernet Franc. No fim da fila está a Petit Verdot, que ocupa um pequeno espaço de 616 hectares, representando 0,54% da produção – ou seja, este exemplar de Petit Verdot que você tem em mãos pode ser considerado uma raridade!

As brancas também têm seu lugar ao sol de Mendoza: a Chardonnay, de longe, lidera o ranking, ocupando 15,34% dos vinhedos, o que dá mais de seis mil hectares. A Chenin praticamente empata com a Sauvignon, ambas com cerca de 5% de representatividade, seguidas de perto pela Torrontés Sanjuanino. Lá atrás, estão Semillón, Torrontés Mendocino, Torrontés Riojano, Viognier e Riesling – esta última ocupando pouco mais de 90 hectares (0,23%).

Esses números comprovam que a Malbec é, de fato, a uva do país, mas, por outro lado, nem só de Malbec se fazem bons vinhos argentinos. Por isso, seja a sua uva preferida rara ou abundante, se vier de Mendoza é uma excelente escolha. Experimente os exemplares da sua seleção e descubra por conta própria!

Experiêncianotáveis

Experiência com exemplares prestigiados, ideal para paladares mais aguçados.
R$ 180/seleção

Continue Explorando