Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Diário do Winehunter

Um vinho para chamar de nosso

17 julho 2019
  • 82 visualizações
  • 0 comentários

Conheça detalhes sobre o desenvolvimento do projeto Enclos du Wine Hunter, que resultou em vinhos incríveis com a tipicidade de Bordeaux e estilo próprio

Tudo começou em 2015, quando idealizamos o projeto de criar um vinho nosso. Isso aconteceu porque, há muitos anos, vários produtores pedem para avaliarmos seus vinhos – e isso se aplica também aos que não selecionamos para a degustação. Resultado: inúmeros rótulos foram lançados no mercado com nossa avaliação e nossas observações sobre alterações ou acertos de algo que faltava nos vinhos.

Nesse ritmo, vinhos de diversas seleções que fizemos acabaram recebendo boas pontuações da crítica especializada internacional após terem sido escolhidos por nós.

Foram esses motivos que nos estimularam a desenvolver um projeto próprio, mas com uma condição primordial: estar em todas as etapas de elaboração. Pelo fato de Manu ser bordalês e eu, apaixonado por Bordeaux, foi justamente essa região vinícola francesa que sediou nossa busca para dar vida a um Bordeaux com a tradição típica, mas com nosso estilo. A ideia era fazer nosso “assemblage” com diversos lotes.

Dica de leitura:  À francesa

De lote em lote
No início, fomos procurar nossos lotes de vinhos em cooperativas, mas não conseguimos encontrar a qualidade esperada. Então, começamos a buscar pequenos produtores, com uma produção mais consistente.

Em 2018, com o retorno de Manu a Saint-Émilion, em Bordeaux, nossa caça a bons produtores ficou mais fácil. Obviamente, pela proximidade, portas foram se abrindo, até chegarmos a um terroir que nos marcou, na região do Entre-deux-Mers, como é chamada a faixa de terra entre os rios Dordogne e Garone.

A partir daí, fomos pesquisar com quem poderíamos ter abertura para elaborar nossos vinhos. Encontramos o JC, grande amigo que elabora Grand Cru Classé e que disponibilizou para nós sua equipe de viticultura e enologia. Ali, com os lotes escolhidos, conseguimos elaborar o corte que mais representava nosso estilo de vinho.

Dica de leitura:  Semana dos Primeurs em Bordeaux

Após mais de dez assemblages, chegamos ao que buscávamos, com o estilo e a qualidade desejados: nosso Bordeaux de entrada, tinto, branco e rosé. Vinhos frescos e límpidos, para serem apreciados no dia a dia.

Com o Bordeaux Superieur já em amadurecimento, fomos atrás do vinho que fecharia a linha, um Saint-Émilion Grand Cru, já que a casa do Manu fica nessa denominação. E após muito hunting, conseguimos achar uma pequena parcela do melhor terroir de Saint-Émilion Grand Cru “Côte Pavie”. Assim, elaboramos nosso incrível Grand Cru!

Nosso desejo era um rótulo que expressasse o que é, de fato, o Enclos: a casa rodeada de vinhedos, com as colinas do Pavie por trás. Uma paisagem típica de Saint-Émilion. E não poderia faltar o mascote Otto, um Dogue de Bordeaux que sempre nos aguarda no portão.

Manu Brandão e Vicente Jorge

Recomendamos para você:

( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
Escrito por: Manu Brandão

Winehunter, francês e nativo de Bordeaux com mais de 25 anos de experiência no mundo do vinho.