Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Vinhos para Iniciantes

Como começar a beber vinho?

30 Maio 2021
  • 150 visualizações
  • 0 comentários

É iniciante no universo das taças e garrafas? Reunimos dicas e informações valiosas para não errar na hora da degustação!

Você é daquelas pessoas que apreciam vinho só eventualmente, quando está na presença de algum amigo ou familiar, mas tem vontade de saber mais sobre como começar a beber vinho e se aventurar mais pelos rótulos, aromas e sabores? 

Em primeiro lugar, é preciso saber distinguir os tipos de vinho, até mesmo para escolher na hora da degustação e, depois, entender o seu próprio paladar e gosto pessoal. 

Leia mais: Conheça “Winehunter: Uma Nova Jornada”, a série ilustrada da Wine

Aqueles vinhos que apresentam perlage, as borbulhas na taça, são classificados espumantes e frisantes, enquanto os outros que não têm essa particularidade são chamados vinhos tranquilos, que vamos abordar abaixo. 

Vinho branco: paladar mais leve

É elaborado a partir das uvas brancas ou de uvas tintas sem a casca. Têm sabor mais leve e são mais refrescantes que os exemplares tintos. Geralmente, o teor alcoólico é um pouco menor e a acidez elevada. 

Destaque para as uvas Chardonnay, Sauvignon Blanc, Riesling e Pinot Grigio

Para quem está começando, uma sugestão infalível é combinar os vinhos brancos com pratos mais leves que tenham frango, peixe, frutos do mar ou massas com molhos mais delicados, outra boa opção, é harmonizar também com saladas. 

Tintos: mais taninos e intensidade

Os vinhos tintos são aqueles produzidos com uvas de coloração avermelhada ou roxa. Mais encorpados, estão entre os mais consumidos e, como principal característica, têm a presença marcante dos taninos

Entre as uvas tintas, destacam-se Cabernet Sauvignon, Merlot, Carménère, Pinot Noir e Malbec, entre outras.

Os exemplares mais leves vão bem com carnes grelhadas, assadas e risotos, por exemplo. Enquanto os mais encorpados podem acompanhar também queijos curados e comidas condimentadas.

Rosé: elegância e frescor na taça

Os rosés são um meio-termo entre os vinhos brancos e tintos. São vinhos leves, mas ao mesmo tempo têm sabor marcante. 

É possível elaborar um exemplar a partir de uvas tintas e brancas. 

Entre as uvas mais utilizadas na produção de rosés estão Cabernet (Sauvignon e Franc), Carignan, Grenache, Malbec, Merlot, entre outras.

Uvas ideais para começar

Para quem quer acertar em cheio logo nos primeiros passos, não tem erro: a melhor escolha na prateleira dos tintos é um Pinot Noir. Já entre os brancos, um exemplar elaborado com a uva Chardonnay.

Castas internacionais produzidas em várias localidades do mundo, ambas as uvas são oriundas da Borgonha, uma das regiões produtoras mais aclamadas da França e de toda a Europa.

A Pinot Noir carrega a fama da elegância, mas, segundo os produtores, é de cultivo difícil. O resultado, porém, compensa na taça: os vinhos desta casta esbanjam aromas, geralmente têm paladar sutil, leve e frutado. 

Já a Chardonnay é uma das uvas mais plantadas no mundo, já que tem fácil adaptação a diferentes tipos de clima e solo. Entretanto, as particularidades de cada vinho elaborado com a Chardonnay variam muito de acordo com a região de seu plantio. 

Dicas de rótulos para iniciantes

Confira abaixo as indicações dos especialistas da Wine para quem quer se aprofundar no universo dos vinhos. São exemplares fáceis de beber e de combinar, mas que garantem experiências sensoriais marcantes!

Manos Negras Pinot Noir 2019

Elaborado de forma artesanal no terroir da Patagônia, na Argentina, conhecido por revelar uma das melhores versões da uva na América do Sul. É bom para acompanhar lombo suíno, galeto recheado ou batatas gratinadas.

Viña Carrasco D.O. Valle Central Pinot Noir 2020

Com perfil descomplicado e fácil de beber, integra a linha Viña Carrasco, da premiada vinícola Luis Felipe Edwards. De sabor leve e taninos macios, vai bem com risoto caprese, penne ao sugo e pizza marguerita.

Nederburg 56 Hundred Chenin Blanc 2019

Aromático e fácil de beber, amadurece apenas em tanques de aço inox, para preservar as características naturais da uva. Harmoniza com abobrinha recheada, nhoque de abóbora e arroz de bacalhau.

William Hill Central Coast Chardonnay 2017

Vinificado em tanques de aço inox e barricas de carvalho, este exemplar californiano é leve e tem acidez agradável. Sirva-o com risoto de camarão, penne ao pesto ou salada de bacalhau e se surpreenda!

Baron Philippe de Rothschild I.G.P Pays dOc Chardonnay 2019

Este vinho francês vem de uma região que abriga diversos “microterroirs”. É fresco e saboroso, combina com peixe grelhado, frutos do mar, lasanha de abobrinha e queijos como brie.

Dicas infalíveis

  • No começo, escolha vinhos elaborados com apenas uma uva, os “varietais”, para treinar seu paladar com as características daquela casta.
  • Nos passos seguintes, compre vinhos de uvas de diferentes intensidades e deguste-os, notando as particularidades de cada um. 
  • Você pode degustar dois exemplares de uma mesma uva produzida em regiões diferentes, um Chardonnay norte-americano e um francês, por exemplo.
  • Aquela sensação de “madeira na boca”, de adstringência, pode ser desagradável para quem está começando. Por isso, escolha vinhos com menos taninos.
  • Os vinhos do Novo Mundo, geralmente, podem ser bem aceitos pelos apreciadores novatos, porque costumam ser elaborados para agradar ao novo consumidor.
  • Para uma experiência melhor, sirva sempre apenas um terço da taça.
  • Em geral, a temperatura ideal para servir tintos é de 15 ºC; e os brancos mais gelados, de 10º C a 12º C.

Acessórios: o básico para iniciantes

Para não ter erro, é bom que você tenha em casa ao menos os acessórios básicos necessários para a degustação. Afinal, ninguém quer ter imprevistos na hora de abrir uma garrafa ou de servir o vinho, certo?

  • Tenha ao menos um jogo simples de taças em casa, isso vai fazer diferença na hora de notar sabores, aromas e o visual da bebida.
  • Não esqueça do saca-rolhas! E também não desista: seu manuseio é apenas uma questão de prática.
  • O corta-gotas ajuda bastante na hora de servir o vinho, evitando que a bebida respingue ou escorra depois de servida.

Agora, com nossas sugestões, você já pode correr para nosso site ou para o aplicativo, e escolher por onde começar! Ainda não é assinante? Conheça aqui todas as vantagens de se associar ao Clube Wine!

Escrito por: Wine