Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
sem categoria

9 erros comuns para se evitar ao montar uma adega em casa

27 junho 2022
  • 147 visualizações
  • 0 comentários

Saiba quais são os fatores que precisam ser levados em consideração na hora de montar uma adega em casa

A hora de montar a adega do jeitinho sempre sonhou chegou e, claro que as pessoas não querem errar em nenhum detalhe, né? E as dúvidas são várias, desde os móveis, até a temperatura do ambiente. Sabemos que não existe fórmula exata para montar uma adega, mas existem orientações e dicas que podem contribuir para que o resultado final supere as expectativas dos enófilos de plantão que sonham com um lugarzinho como esse em sua residência.

Se começarmos pensando que não existe quantidade de vinho ideal para manter uma adega e, sim, é necessário calcular o consumo usual e pensar nas necessidades imediatas, como, por exemplo, quando receber amigos para um jantar ou um almoço em uma ocasião próxima, convém mantê-la abastecida para que todos tenham a melhor experiência enológica possível.

Abaixo, reunimos alguns dos erros mais comuns que as pessoas cometem na hora de montar uma adega. Fique atento e fuja deles!

1. Optar por lugares muito iluminados ou muito quentes

O local ideal para a sua adega deve ser mais escuro, arejado ou onde a temperatura seja amena e constante. Assim, será possível conservar os vinhos da maneira adequada em casa.

A luz e o calor intensificam os processos químicos e biológicos que ocorrem na bebida e isso pode alterar o sabor e, até mesmo, a estrutura dos vinhos que estão em sua adega. O local da adega ainda deve ser entre seco e úmido para que não haja alterações na rolha e, consequentemente, na bebida.

Se você não tiver muitas opções de ambientes disponíveis, a solução ideal é uma adega climatizada que, com certeza, vai resolver o problema. 

2. Escolher um modelo pequeno de adega

É comum encontrar apreciadores de vinhos que separam um espaço mais singelo para armazenar a bebida e depois se arrependem. Se você já tem o hábito de degustar um bom vinho e participa do Clube Wine, por exemplo, vale a pena apostar em uma adega com capacidade para mais garrafas, até mesmo para que os vinhos de guarda possam se desenvolver por ali.

3. Manter apenas vinhos de guarda na adega

Existem aquelas pessoas que se empolgam com os vinhos de guarda e enchem a adega com eles, esquecendo dos rótulos para consumo imediato. É preciso lembrar que os vinhos de guarda podem demorar anos até atingir o momento ideal para serem apreciados. Então, é preciso ter equilíbrio entre a quantidade de bebidas na adega para servir em um jantar no dia a dia e para ficarem guardados explorando o potencial.

4. Restringir o espaço de circulação de ar na adega

Mesmo no caso das adegas climatizadas, é comum que as pessoas se esqueçam que o equipamento precisa ser instalado em um espaço com, pelo menos, um pouco de ventilação. A falta de espaço para a circulação do ar pode trazer grandes danos ao funcionamento da adega climatizada. 

No caso dos móveis comuns para armazenamento de vinhos, se não houver espaço adequado entre as garrafas, o local pode ficar exposto a alterações indesejadas na umidade, o que traz problemas para os vinhos a médio prazo.

Prefira deixar um espaço de 5 a 10 centímetros entre a adega e a superfície que a envolve. 

5. Encher a adega com um só tipo de vinho

Não é justo com seus convidados e nem com seu próprio paladar que você escolha só um tipo de vinho, como o tinto ou o branco, por exemplo, para manter em uma adega em casa. 

Já que vai investir em um local apropriado para o armazenamento de algumas garrafas a mais, experimente! Dentro de suas possibilidades, escolha brancos, tintos, espumantes, rosés, licorosos… Que tal ousar em degustações ou em um jantar harmonizado no fim de semana?

Além disso, é sempre bom ter ao menos um espumante para brindar um momento especial como aniversários, conquistas pessoais ou mesmo em um domingo com amigos ou familiares. E não podemos esquecer, claro, de um bom vinho branco para aqueles dias mais quentes.

6. Priorizar apenas o valor dos vinhos

Outro erro cometido por muitos enófilos é levar em consideração apenas os vinhos caros ou baratos demais. É importante ter em mente que o vinho é sinônimo de celebração e boas lembranças e por ser um universo democrático, possui rótulos acessíveis. Por isso, a dica é: arrisque-se e aposte em um exemplar mais jovem e acessível para uma refeição do dia a dia, por exemplo.

Assim como vale investir em um rótulo diferente para conhecer novos sabores e fazer brindes em ocasiões especiais. 

7. Deixar as garrafas de vinho em qualquer posição

Mantenha as garrafas na horizontal sempre que possível, assim, a rolha permanece úmida e impede que o ar passe por ela. Quando não armazenamos corretamente os vinhos, podemos comprometer toda a experiência sensorial proporcionada por um bom exemplar, já que os aromas e sabores podem ser afetados. 

8. Não relacionar os vinhos ou registrar os favoritos

Quando anotamos as sensações de olfato e paladar, estamos exercitando o conhecimento sobre os vinhos da maneira mais simples possível. Se achar trabalhoso parar para registrar as informações, guarde ao menos o nome do vinho ou as características da região onde o exemplar foi produzido, para treinar e confirmar seu paladar nas próximas experiências.

9. Dispensar a ajuda de um profissional

Ficou com dúvidas ou quer dicas específicas sobre algum rótulo? Uma boa dica é ir até às nossas Lojas Wine e perguntar a um sommelier. Deixe a vergonha de lado, afinal, ninguém entra no universo dos vinhos já sabendo de tudo. Permita-se tirar todas as dúvidas neste momento de escolher o rótulo que se adequa ao seu gosto pessoal. Agora que você já sabe como evitar esses erros, confira outras dicas imperdíveis e mais informações sobre o universo dos vinhos em nosso blog e comece a montar a sua adega!

Escrito por: Aldeia