Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
sem categoria

Tudo o que você sempre quis saber sobre Vinho do Porto

15 julho 2019
  • 90 visualizações
  • 0 comentários

Cor, sabor, aromas…este vinho fortificado produzido no Douro é intenso em todas as características. Saiba mais sobre esse que é um dos maiores ícones da vitivinicultura portuguesa

Afinal, o que é o Vinho do Porto?

É um vinho licoroso, produzido especificamente na Região Demarcada do Douro, no norte de Portugal, que recebe a adição de aguardente vínica durante seu processo de elaboração. Como o próprio nome sugere, a aguardente vínica é uma bebida feita por meio da destilação do vinho. O objetivo de adicioná-la durante ou após a fermentação do Vinho do Porto é aumentar sua graduação alcoólica.

Quando essa adição ocorre durante a fermentação, esse processo é interrompido, pois as leveduras morrem devido ao alto grau de álcool. Com isso, o vinho fica com uma quantidade maior de açúcar residual – simplificando, ele será mais adocicado no paladar. Quando a adição da aguardente vínica ocorre apenas no fim da fermentação, ou seja, quando a levedura cumpriu a sua função de consumir o açúcar da uva, o vinho terá um paladar seco.

Apenas os vinhos fortificados produzidos no Douro podem ser chamados de vinhos do Porto?

Sim, os vinhos do Porto integram uma Denominação de Origem, por isso, esse nome está ligado exclusivamente à região do Douro. Outras áreas vitivinícolas podem produzir vinhos fortificados, porém esses não podem ter a menção “Vinho do Porto”. É o caso do Vinho Madeira, por exemplo. Ambos são elaborados de formas semelhantes, mas em diferentes Denominações de Origem.

Quais são os estilos de Vinho do Porto?

Entre os tintos, são dois: Ruby e Tawny. De forma abrangente, podemos dizer que os exemplares da categoria Ruby tendem a ter tonalidade tinta mais escura e intensa, e a preservar mais os aromas frutados, principalmente os que integram as subcategorias mais jovens. Já os Tawny trazem características de evolução e oxidação que vão desde a tonalidade, que tende a ser mais clara, aos aromas que destacam frutas secas. Esses estilos também são chamados de categorias especiais, que se subdividem em categorias específicas.

E quanto aos outros estilos?

Há também os Vinhos do Porto Rosés e os Brancos – estes últimos também possuem subcategorias.

Qual a diferença entre Ruby e Tawny?

O tipo de envelhecimento. O Ruby passa por madeira por poucos anos e, logo depois, é engarrafado (para envelhecer dentro da garrafa), sem, praticamente, ter contato com o oxigênio. Já na elaboração do Tawny, o produtor troca o vinho entre várias barricas, expondo o líquido ao oxigênio durante o processo. Como o Ruby foi engarrafado muito cedo e sem contato com oxigênio, ele vai evoluir em garrafa e alcançar o auge ao longo dos anos.

O Tawny, por sua vez, já atingiu o apogeu durante o tempo em que foi trocado entre barricas, ou seja, passando pelo processo oxidativo, quando é engarrafado, o Tawny já está pronto para o consumo, pois vai evoluir positivamente muito pouco ou nada.

Essa troca de barricas também define a construção do blend?

Sim. Inicialmente, os vinhos ficam em barricas separadas. Mas ao longo dos anos, o produtor vai juntando esses vários lotes de vinhos diferentes, até chegar ao corte final. Esses vinhos geralmente têm idades diferentes. Ao fim do processo, o produtor faz a média da idade de todos os lotes utilizados no blend. E assim nascem os vinhos do Porto sem safra e os com indicação de idade (10, 20, 30 e 40 anos).

Dica de leitura:  Vinhos portugueses: o boom da viticultura de Portugal

O Vinho do Porto é sempre doce?

Não. As categorias de classificação quanto ao teor de açúcar em g/L na origem do Vinho do Porto seguem os limites exigidos pela denominação, que vai de “extrasseco” até “muito doce”. Logo, temos exemplares que não trazem doçura perceptível no paladar. Confira a classificação de acordo com o teor de açúcar:

● Extrasseco – até 40 gramas de açúcar por litro
● Seco – acima de 40 até 65 gramas de açúcar por litro
● Meio seco – acima de 65 até 90 gramas por litro
● Doce – acima de 90 até 130 gramas por litro
● Muito doce – acima de 130 gramas por litro

Vale lembrar que cada região ou país possui suas regras e especificações quanto à elaboração dos vinhos, incluindo a classificação em relação à quantidade de açúcar em gramas por litro. E nunca é demais lembrar que a classificação, isoladamente, não tem nenhuma ligação com a qualidade do vinho.

Por que o Porto Vintage é considerado o rei dos vinhos do Porto?

O Porto Vintage, que está no topo da categoria Ruby, é safrado, ou seja, feito com uvas colhidas em um ano específico. Ele só é elaborado em safras consideradas excepcionais e com uvas cuidadosamente selecionadas.

O Porto Vintage é o único vinho do Porto com potencial para envelhecer longos anos em garrafa. É engarrafado sempre entre dois e três anos após a colheita e tem potencial para envelhecer até 50 anos em garrafa. Um dos motivos pelos quais é tão aclamado é porque surpreende desde quando consumido logo depois do engarrafamento, até após muitos anos de envelhecimento em garrafa.

Quanto tempo um Porto pode envelhecer preservando suas qualidades?

Depende muito do estilo e da subcategoria a que o vinho pertence. Além disso, a forma como ele é armazenado também influencia muito, por isso, seguir as condições ideais de armazenamento (preservando constante a temperatura de cerca de 15 °C, a umidade controlada, longe de exposição solar de luzes intensas e de trepidações) vai evitar o aceleramento do envelhecimento do vinho.

Podemos citar como exemplo o Vinho do Porto Late Bottled Vintage (LBV), que pode envelhecer bem em garrafa por cerca de cinco anos. Já um Porto Vintage pode evoluir bem até uns 50 anos. Mas também temos o Ruby e o Tawny de entrada, que são produzidos para o consumo imediato.

Dica de leitura:  Os tipos de vinhos do Porto

Depois de aberto, por quanto tempo o Vinho do Porto pode ser consumido?

Depende muito do estilo de vinho do Porto e também das condições de armazenamento da garrafa. O ideal é manter a garrafa fechada e em local resfriado, como adega ou em um cantinho da geladeira.

Quanto dura o Vinho do Porto após aberto?

● Vintage: de 1 a 2 dias
● Late Bottled Vintage (LBV): de 4 a 5 dias
● Ruby, Ruby Reserva e Brancos: de 8 a 10 dias
● Tawny e Tawny Reserva: de 3 a 4 semanas
● Tawny e brancos com Indicação de Idade (10, 20, 30, 40): de 1 a 4 meses
● Colheita: de 1 a 4 meses (os mais novos, menos tempo, os mais velhos, mais tempo)
*Estimativa do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP)

O Vinho do Porto pode ser consumido gelado?

Certamente! Aliás, na maioria dos casos deve ser consumido gelado ou resfriado. Nunca em temperatura ambiente, a não ser que na sua cidade as temperaturas sejam bem próximas das indicadas:
● Rosé: 4 °C
● Branco*: de 6 ºC a 10 °C
● Ruby*: de 12 ºC a 16 °C
● Tawny*: 10 ºC a 14°C
*Os mais jovens, mais resfriados; os mais velhos, menos.

Qual é a taça ideal para apreciar o Vinho do Porto?

Vinhos fortificados normalmente são servidos em taças menores, pois como possuem alta graduação alcoólica, a quantidade de consumo é menor. Além de pequenas, essas taças possuem bojo mais estreito e borda mais fechada, que direciona o vinho para a ponta da língua, região que detecta os sabores doces.

Um cálice oficial do Vinho do Porto foi introduzido em 2001, mas, independentemente do modelo, gosto de lembrar que o importante é a gente sempre usar a taça de que mais gostamos, aquela com a qual temos mais intimidade para manusear.

Quais as melhores harmonizações para o Vinho do Porto?

Com um Vinho do Porto Vintage, as nozes, frutas secas e queijos de sabor intenso são os mais indicados, mas a clássica harmonização é obtida com o queijo azul stilton. Os exemplares da categoria Tawny com indicação de idade (10, 20, 30 e 40 anos), combinam muito bem com tarte de amêndoa, torta de nozes, crumble de maçã e com o clássico panetone.

Mas, além dos doces, eles também podem ser servidos com queijos como o comté e o pecorino maduro. Já os exemplares Ruby, Ruby Reserva e o LBV combinam com sobremesas à base de chocolate, como uma mousse. Mas se a ideia for harmonizar com aperitivos salgados, o ideal é escolher os queijos mais cremosos, como o brie e o cheddar.

Há drinques famosos preparados com Vinho do Porto?

Sim! Não podemos deixar de citar o Portonic, ou Porto Tônica. Preparado com Vinho do Porto branco, água tônica, gelo e uma rodela de limão, essa bebida refrescante é muito consumida principalmente no verão, como aperitivo antes das refeições, como drinque de boas-vindas e também no happy hour.

Recomendamos para você:

( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
Escrito por: Nicole Batista

Sommelière e Bacharel em Química, fez imersão em algumas regiões vitivinícolas da Europa e América do Sul.