Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Curiosidades

6 regiões que poderão produzir bons vinhos

21 janeiro 2015
  • 659 visualizações
  • 6 comentários

Você já degustou algum rótulo suíço? Saiba o que esperar de 6 regiões incomuns no mercado, mas que podem produzir bons vinhos.

Com contantes mudanças climáticas e o mundo do vinho cada vez mais curioso, alguns produtores têm investido em regiões inimagináveis que tem rendido de bons a excelentes vinhos e que, em breve, podem despontar.

Algumas delas já começaram a a ser faladas em canais na web que lidam com o nosso assunto preferido, vinho. Conheça quais são essas regiões e nossa opinião sobre cada uma.

Geórgia

Georgia

Você sabia que a primeira evidência arqueológica da produção do vinho está na Geórgia? A data é de 6000 a.C. As uvas por lá possuem nomes difíceis, como Mtsvane Kakhuri, Saperavi e Rkatsiteli. A região começa a chamar a atenção pelo espumante shampanskoye, entre outros exemplares. E, como a história está a seu favor, não duvidamos de que mais coisa boa possa surgir por lá nos próximos anos.

Turquia

Turquia

O que trava o desenvolvimento da Turquia no mundo do vinho são os altos impostos e as fortes influências mulçumanas. O clima do país  é muito variado, algumas regiões são mais propícias para o cultivo e outras bem difíceis. Alguns produtores lançam mão de uvas internacionais, mas dão uma enorme preferência às regionais. Mas apesar das barreiras, os vinhos turcos também são uma boa aposta a longo prazo.

Dica de leitura:  Vinho congela?

China

china

Esse gigante oferece uma variedade de climas e solos. E, por isso, o clima em algumas regiões é um problema. A região que mais se destaca é a península de Shandong, na China oriental, com seu clima marítimo que dispensa a proteção das vinhas contra invernos rigorosos. As vinícolas e vinhedos pioneiros da era moderna foram estabelecidos nessa região. E é de lá que podem vir muitas coisas boas. Estamos de olho!

Finger Lakes (Nova Iorque)

Finger lakes

Nessa região, os invernos são rigorosos e na década de 60, Dr. Frank, um viticultor ucraniano acostumado a cultivar uvas em invernos frios, provou que variedades com amadurecimento precoce poderiam se dar bem nas condições da região. Ele apostou em Chardonnay e Riesling (esta última se desenvolveu bem melhor). Vagarosamente, Finger Lakes tem estabelecido sua reputação com os vinhos e pode chegar longe.

Dica de leitura:  Crus: os preciosos terroirs franceses

Mas ainda há outras duas regiões com vinhos pouco conhecidos, mas que podem chegar a despontar no mercado. São elas:

Suiça

Suiça

Os vinhos suíços são pouco conhecidos além de suas fronteiras. Mais de duzentas variedades são plantadas nesse país com pequena extensão territorial. Os viticultores locais são muito cuidadosos e nas partes mais secas, como em Valais, é feito o uso de irrigação. Devido ao frio intenso, os vinhos, de maneira geral, apresentam uma acidez bem marcante.

Inglaterra

Inglaterra

Há pouca diferença entre o solo calcário de Champagne e de Downs na Inglaterra. Então, houve muito investimento na produção de espumante com fermentação em garrafa (método tradicional – champenoise) e com as mesmas uvas que se faz o champagne. Grande dedicação aos estudos por parte dos produtores e mais investimentos garantem vinhos brancos e rosés de respeito, quase todos os anos.

Escrito por: Bia Miranda

Redatora e revisora da Wine, além de perdidamente apaixonada - e curiosa - pelo mundo do vinho.