Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Curiosidades

Uma uva, muitos nomes

19 julho 2018
  • 2799 visualizações
  • 0 comentários

Uma só uva pode ter inúmeros nomes de acordo com a região e/ou país em que é cultivada. Conheça algumas delas e os nomes que elas têm!

Se você se deparar com rótulos que exibem nomes diferentes para a mesma uva, não estranhe: algumas variedades ganham denominações e grafias diversas de acordo com as regiões onde são cultivadas.

A Shiraz, por exemplo, que é como essa uva é majoritariamente chamada na Austrália – onde reina – e em outras regiões, como a África do Sul. Ela também pode ser conhecida dessa forma em outros países, embora esses dois sejam os dominantes. Originária do Vale du Rhône, na França, ela é conhecida por Syrah por aqueles lados.

E atenção: se você topar com uma Petite Sirah, saiba que essa é uma cepa diferente! Trata-se do cruzamento entre a Syrah (ou Shiraz) com a Peloursin. Também nascida no Rhône, hoje é mais cultivada na própria Austrália, além de outros países, como Estados Unidos, Brasil, México e Argentina. Assim como a sua “mãe”, a Petite Sirah, também conhecida por Durif, apresenta variações de grafia – Petit Sirah, Petite Syrah ou Petit Syrah.

Dica de leitura:  Vinho laranja e vinho azul

Diversas outras uvas ganham nomes próprios em diferentes regiões, mas uma que se destaca nesse quesito certamente é a espanhola Tempranillo, variedade emblemática da região de Rioja, mas que, por ser bastante versátil, é cultivada em várias partes do mundo.

Seu nome “oficial” vem de temprano, que, em espanhol, significa cedo, fazendo referência ao seu amadurecimento precoce. E, na própria Espanha, a Tempranillo tem nomes diferentes: na D.O. Ribeira Del Duero, por exemplo, é conhecida por Tinto del País e Tinto Fino. Na D.O. Toro, em Zamora, ela vira a Tinta de Toro; em La Mancha e Valdepeñas, é Cencibel; em Badajoz, é Chinchillana ou Escobera; na Catalunha, Ull de Llebre; Tinto de Madrid em Toledo, Santander e Salamanca; e, finalmente, Vil de Aranda em Burgos.

Dica de leitura:  Varietal: sabor da terra

Ufa! E não é só. Fora da Espanha, a Tempranillo segue com outras identidades: em Portugal, onde também tem boa fama, recebe os nomes de Tinta Roriz, Arinha Tinto, Tinta de Santiago e Aragonês. Na França, é a majestosa Grenache de Logroño. Já na Califórnia, grande produtora do Novo Mundo, a queridinha espanhola foi batizada de Valdepeñas.

Se tanto nome deixou você confuso, basta saber que, independentemente de suas muitas denominações, tanto a Tempranillo quanto a Shiraz dão origem a excelentes vinhos. Prove e comprove!

Escrito por: