Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Dicas

Tipos de rolhas de vinho. Elas influenciam no sabor?

26 julho 2020
  • 79 visualizações
  • 0 comentários

Descubra todos os tipos de rolhas e como elas podem afetar a bebida

Se você abrir um vinho e, ao tomá-lo pela primeira vez, sentir um gosto avinagrado, pensaria que o vinho não é bom? Essa é uma possibilidade, mas existe uma chance disso ser culpa da rolha com que a sua bebida foi embalada! 

O tipo de rolha com que uma garrafa de vinho é selada pode fazer toda a diferença no sabor final dele. Não, as rolhas não são partes dispensáveis do vinho. 

É por isso que existem rolhas adequadas para determinados tipos de vinho. Confira!

Rolha de Cortiça 

Feita de material extraído da casca do sobreiro, árvore original de Portugal, esse tipo de rolha é o mais comum. Usada nos vinhos de guarda, ela adere bem às garrafas e evita o contato do vinho com o oxigênio – isso ajuda a preservar os aromas e sabores da bebida.

Entre as rolhas de cortiça, existem:

  • Rolha de cortiça maciça

Feita apenas com o material extraído do sobreiro, esse tipo de rolha costuma ser longa, larga e elástica. É essa combinação que faz dela uma das melhores opções para vedar a garrafa. 

  • Rolha de aglomerado de cortiça

É feita a partir de pedaços de cortiça colados, por isso, sua elasticidade e durabilidade são muito menores do que a maciça. É muito usada em vinhos com menor potencial de guarda ou vinhos jovens.

  • Rolha de espumante 

Também feita com a cortiça, essa rolha tem o formato cilíndrico e vai adquirindo uma forma parecida com a de um cogumelo com o passar do tempo. Na parte de cima é composta pelo aglomerado de cortiça, já na parte inferior o formato é semelhante à rolha de cortiça original.

Além desses, o mercado também desenvolveu outros tipos de rolhas, e são eles que você vai conhecer a seguir:

Rolha sintética

Essa rolha chegou ao mercado nos anos 90. Sua durabilidade gira em torno de 5 anos e pouco mais de 20% das garrafas comercializadas no mundo já são vedadas com ela. Isso porque, além de ter um preço mais acessível também está livre da contaminação.

No entanto, a sua qualidade em relação à conservação do vinho ainda não foi atestada, o que faz com que ela seja usada em garrafas de consumo rápido.

Tampa de rosca

Também chamada de screw cap, é uma tampa metálica de rosca e sua parte interna é coberta com plástico que limita o contato do oxigênio com o vinho

Ela é mais prática: não precisa de saca-rolhas para abrir a garrafa e seu custo de fabricação é baixo. Assim como a sintética, não é de muita qualidade quando se leva em conta a longevidade, ou seja, o potencial de guarda por muitos anos de um vinho.

Rolha de vidro

Apresenta uma boa vedação, impedindo o contato da bebida com o oxigênio. Além disso, esse tipo de rolha não tem cheiro e nem sabor, evitando assim qualquer interferência ao aroma do vinho.

É uma tendência bem recente no mercado e, por ser um objeto de fabricação cara, tem sido usada em rótulos mais especiais. 

Um vinho sem rolha é um vinho de baixa qualidade?

Não necessariamente. Depois das explicações que demos sobre as diferenças das rolhas e a influência delas no sabor dos vinhos, você pode verificar que, na verdade, as garrafas sem rolha são destinadas a vinhos para consumo mais imediato. 

Eles são diferentes daqueles chamados vinhos de guarda, que ficam guardados por anos a fio e necessitam de rolhas com longevidade, como a rolha de cortiça.

Agora, quando você for escolher um vinho para tomar vai poder entender melhor o que está tomando só de reparar no tipo de rolha que ele tiver. 

Escrito por: Wine