Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Enoturismo

Argentina: uma tradição do Novo Mundo

20 setembro 2018
  • 597 visualizações
  • 0 comentários

Saiba mais sobre este país, que se posiciona entre os grandes produtores do mundo com seus vinhos de altíssima qualidade.

Maior produtor de vinhos de América Latina e referência em vinhos do Novo Mundo, a Argentina é também o quinto maior produtor da bebida no planeta, de acordo com Organização Internacional do Vinho e da Vinha (OIV).

Mas nem só de quantidade vive o país. Nas últimas décadas, os hermanos têm sido cada vez mais reconhecidos pela excelência e pelo alto padrão de seus rótulos.

Com uma área quatro vezes maior que a França e quase 220 mil hectares de vinhedos, localizados em altitudes que variam entre os 700 e os 3000 metros, o país tem como uva emblemática a francesa Malbec, matéria-prima de alguns dos mais finos e elegantes vinhos produzidos por lá.

A altitude dos vinhedos argentinos cria uma série de microclimas por lá; suas plantações são verdadeiros oásis verdes em meio aos desertos andinos e a distância do oceano exige que diversos sistemas de irrigação estejam presentes na maioria das vinícolas e fazendas.

Dica de leitura:  Aventuras na Cordilheira dos Andes

A grande amplitude térmica também pode se tornar um problema; as rigorosamente baixas temperaturas noturnas podem destruir safras inteiras, e muitos dos estabelecimentos se preparam cuidadosamente para lidar com essas condições.

As uvas mais cultivadas na Argentina são a Malbec, a Bonarda e a Torrontés, e ainda, Cabernet Sauvignon, Syrah, Pinot Noir e Tempranillo. Na região de Mendoza, a Malbec impera desde os anos 1980.

Cerca de 70% de todo o vinho argentino é originário dessa enorme região, que inclui as famosas sub-regiões de Lujan de Cuyo (conhecida pela idade média de suas vinhas), Mendoza Central (de clima temperado e solo pedregoso) e o Vale do Uco (com videiras a mais de mil metros de altitude).

Localizadas ao norte do país, as regiões de Salta e Cafayate têm alguns dos vinhedos mais altos do mundo – em alguns casos, localizados a mais de três mil  metros acima do nível do mar.

Dica de leitura:  Dia das Mães com vinho

As poucas variedades que se adaptaram perfeitamente por lá, como a Cabernet Sauvignon, a Malbec, a Torrontés e a Syrah, costumam ser de altíssima qualidade. La Rioja, por sua vez, é uma região focada nos vinhos econômicos, enquanto San Juan é destinada quase que exclusivamente ao cultivo de Syrah.

Por fim, a fria Patagônia costuma produzir vinhos aromáticos e intensos, onde a Pinot Noir se destaca. Os vinhos de Malbec são mais frescos dos que os de Mendoza.

Escrito por: