Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Enoturismo

Os muitos caminhos do Limarí

18 setembro 2018
  • 412 visualizações
  • 0 comentários

Além da produção de bons vinhos que expressam o melhor da viticultura chilena, essa região guarda belezas naturais que merecem entrar no roteiro dos viajantes.

Localizado no extremo sul do deserto do Atacama, e a 400 quilômetros ao norte de Santiago, o Valle del Limarí é um verdadeiro oásis em meio à paisagem desértica desse trecho da Cordilheira dos Andes.

As águas puras e cristalinas que vêm da Cordilheira dão origem ao rio Limarí, que corta o vale. A luminosidade espantosa do Limarí o tornou um dos principais pólos de observação astronômica do mundo, sendo frequentemente procurado por visitantes interessados no astroturismo.

A atividade vitivinícola do vale é relativamente nova, tendo início na primeira metade da década de 1990, e vivendo suas primeiras boas colheitas já nos anos 2000.

As condições climáticas são ideais em função da amplitude térmica, das brisas da Cordilheira, da baixa umidade e da grande quantidade de dias de sol da região – aproximadamente 300 por ano. Outro destaque é a rica atividade mineral da cordilheira de Limarí, que dá origem a peças de artesanato bastante específicas e características do vale.

Dica de leitura:  Aventuras na Cordilheira dos Andes

A fama dos bons vinhos brancos e das frutas tropicais – como o papaya, grande destaque da região – se junta à forte tradição do pisco, bebida local que atrai turistas há muitas décadas. O turismo, aliás, é uma atividade em ascensão no Valle del Limarí.

Da capital, Ovalle, ao famoso Parque Nacional de Fray Jorge, considerado Reserva Mundial da Biosfera desde 1977 pela Unesco, e às águas termais de Termas de Socos, existem inúmeras possibilidades de eno e astroturismo que envolvem caminhadas, cavalgadas, restaurantes e hospedagens temáticas, visitas a observatórios em experiências diurnas e noturnas.

É possível visitar também o pitoresco povoado histórico de Barraza e sua tradicional festa à fantasia, celebrada durante a primeira quinzena de fevereiro, e o curioso Vale do Encanto, patrimônio arqueológico chileno desde os anos 1940 e declarado monumento nacional em 1973, cuja fama é de um lugar encantado – mais um dessa região chilena surpreendente.

Dica de leitura:  O milagre chileno: o sucesso dos vinhos do Chile

Escrito por: