Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Enoturismo

Grécia – Roteiros do vinho

27 Maio 2015
  • 2465 visualizações
  • 2 comentários

Berço histórico da vitivinicultura, a Grécia produz vinhos autênticos e surpreendentes. Conheça mais sobre a riqueza vinícola desse belo país europeu.

A Grécia foi eleita um dos dez melhores destinos de viagem relacionada a vinho, em 2014, pela revista Wine Enthusiast, em que são apontados países que fogem da rota tradicional de enoturismo.

Com cidades que se sustentam em encostas íngremes, com vista para o mar azul profundo, poucas pessoas pensam nas ilhas gregas como um destino de vinho.

Mas a Grécia possui regiões com clima e solo excelentes para vitivinicultura. Além disso, a videira é uma planta que pode ser cultivada em praticamente todo o país, havendo produção de vinhos diferenciados e interessantes, feitos a partir de uvas nativas.

Inclusive, segundo a história, as vinhas e o vinho apareceram pela primeira vez na Grécia Antiga. Por volta de 4000 a.C., Dionísio, filho de Zeus, o deus da vegetação e do vinho, era adorado em celebrações. Existem descrições detalhadas de processos de produção de vinho em inscrições que datam de 2500 a.C..

Dica de leitura:  Urmeneta e Altivo: conheça duas tradicionais vinícolas do grupo VSPT

A mais antiga prensa de vinho do mundo foi conservada na ilha de Creta, onde foram encontrados gravetos de parreira em túmulos muito antigos. Na Ilíada, Homero também descreve muitas cidades e regiões da Grécia como produtoras de vinho e elogia as suas tradições na produção dessa bebida.

A Macedônia é uma das mais antigas regiões vinícolas da Grécia, atualmente remodelada e renovada. Destacam-se os vinhos tintos, como os da denominação Naoussa, produzidos a partir da uva xinomavro.

Epirus é uma região onde vinhedos são de difícil acesso, pois estão no meio das montanhas. Os vinhos são incríveis, como os brancos Zitsa, feitos da uva debina.

A região de Thessalia possui os cortes tintos denominados Rapsani, produzidos à sombra do Monte Olimpo a partir das uvas xinomavro, krassato e stavroto, além dos vinhos brancos secos e frescos da denominação Ankhíalos, produzidos pelas uvas roditis e savatiano.

Dica de leitura:  Penedès - Roteiros do vinho

Segundo a mitologia grega, foi em Sterea Ellada, que Dionísio, o deus do vinho, apresentou aos gregos a cultura do vinho.

Peloponeso é de onde vem a maioria das denominações de origem dos vinhos gregos, como os tintos aveludados e complexos de Nemea, produzidos com a uva agiorgitiko.

As Ilhas do Mar Egeu, compostas por Creta, Rhodes e Santorini, possuem muita tradição vinícola. A Santorini, inclusive, foi uma das poucas a resistir à praga da filoxera, que destruiu vinhedos no final do século 19.

Nas Ilhas do Mar Jônico, com Cephalonia como a mais importante denominação, os vinhos são produzidos com as uvas tsaoussi e robola.

Para os apaixonados por vinho, a Grécia, com suas cores, paisagens deslumbrantes e gastronomia única, é uma ótima pedida.

Escrito por: