Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Enoturismo

Vinícolas familiares, passeios e gastronomia na Serra Gaúcha

05 fevereiro 2020
  • 745 visualizações
  • 0 comentários

Preparamos um roteiro de viagem explorando o melhor das Indicações Geográficas do Rio Grande do Sul

Há uma frase de Marcel Proust (1871-1922) que diz: “A verdadeira viagem de descoberta não consiste em procurar novas paisagens, mas em ter novos olhos.” Bem, se adaptarmos as famosas aspas do escritor francês a uma viagem pelo nosso principal polo vitivinícola, a Serra Gaúcha, o tal novo olhar pode surgir instantaneamente e vai além dos cenários encantadores da região.

Chegar a este lugar marcado por colinas e videiras e explorá-lo de acordo com seus produtos tradicionais, com qualidade certificada de cada uma de suas Indicações Geográficas (IG), alavanca a experiência de viagem a um novo nível – e seu conhecimento sobre vinhos agradece.

Antes das dicas, é preciso distinguir as nomenclaturas. No Brasil há duas modalidades de Indicação Geográfica, que não se restringem ao vinho – ambas valorizam e protegem as características de diferentes produtos e serviços de determinada área. No caso do vinho, uma delas é a Indicação de Procedência (IP), que certifica as regiões reconhecidas pela qualidade de sua produção vinícola. A outra é mais restrita: a Denominação de Origem (DO) qualifica locais em que os vinhos têm peculiaridades exclusivas daquele terroir – em outras palavras, é bom porque foi produzido ali.

E qual a importância desse registro? Simples: quando uma região tem Indicação Geográfica, passa a ser defendida, por exemplo, da concorrência desleal – como a utilização, por outra localidade, do nome de seu produto genuíno. O consumidor, por sua vez, também tem assegurada a autenticidade do produto: cada garrafa de vinho produzido nas IGs traz um selo numerado de controle, facilitando sua identificação e rastreabilidade. Sem contar os benefícios trazidos pelo turismo, o valor agregado ao patrimônio cultural e o desenvolvimento da região como um todo.

O Brasil conta, hoje, com apenas uma Denominação de Origem de vinhos, a DO Vale dos Vinhedos (DOVV). A Serra Gaúcha concentra, ainda, quatro Indicações de Procedência e está prestes a receber a concessão de sua segunda DO, para Altos de Pinto Bandeira. Confira, a seguir, como reconhecer cada IP. E vale lembrar que na maior parte dos passeios recomendados, reservas são fundamentais.

IP Monte Belo do Sul

Área total: 56,09 km²
Composição: Monte Belo do Sul, Bento Gonçalves e Santa Tereza
IP desde 2013
Vinhos da IP: Moscatel espumante, vinhos finos tranquilos brancos e tintos secos

Com população de pouco mais de 2.500 habitantes (e cerca de 600 propriedades vitícolas na área delimitada), a cidade de Monte Belo do Sul é responsável pela maior produção de uvas per capita da América Latina – cerca de16 toneladas por ano. Outro feito: produtores locais desenvolveram, em parceria com a Embrapa, a levedura natural Saccharomyces cerevisiae 24MB-CM06, selecionada na própria região, que confere um grande diferencial de identidade sensorial aos vinhos da IP.

Algumas vinícolas certificadas:

Casa Fantin

Instalada em uma casa de pedra do século 19, foi restaurada pelo proprietário, Aristides Fantin, que, com a mulher, Simone, e as duas filhas, recebe calorosamente os visitantes. A vinícola tem um restaurante, onde são servidas receitas tradicionais italianas harmonizadas com espumantes e varietais sem passagem por barrica, produzidos com uvas de vinhedos próprios. visitemontebelo.com.br/pagina/conhecer/40

Vinícola Calza

Funciona no pequeno prédio da antiga vinícola Capoani, aproveitando uma estrutura de 60 anos, inativa na época da aquisição, em 1995. É administrada desde então pela própria família Calza, produzindo vinhos finos e espumantes elaborados pelo Método Tradicional –, vários deles premiados. A visita é ritmada por histórias deliciosas, contadas em tom informal, e termina com degustação. vinicolacalza.com.br

Tanoaria Mesacaza

Que tal apreciar, de perto, a arte de produzir barricas? Seu Eugênio, proprietário desta tanoaria, já dedicou mais da metade de seus 60 anos ao ofício. Hoje, com o filho, Mauro, o tanoeiro produz também tonéis, tinas e outros produtos de madeira destinados não só à elaboração de vinhos, mas também de cachaça, cerveja e vinagre. É um trabalho diferenciado: trata-se da única tanoaria brasileira a importar carvalho da França. Hoje, além de exportar seus produtos, fornece barricas para grandes vinícolas brasileiras, como a Miolo, em Bento Gonçalves. tanoariamesacaza.com.br

Dica de leitura:  Western Cape: a gigante sul-africana

Restaurante:

Casa Olga Bistrot

Diminuto, é famoso pelos pratos reconfortantes, preparados com ingredientes da estação. Os ambientes são simples e podem fazer você viajar no tempo instantaneamente, com móveis e objetos antigos, de cristaleira a despertador de corda. Motivo: o restaurante funciona na casa da avó das chefs Morgana e Marta Perin. Não perca o tortéi na manteiga e sálvia harmonizado com um dos vinhos da IP. Funciona apenas aos sábados ou sob reserva em outros dias da semana. facebook.com/facebook.com/casaolga

IP Farroupilha

Área total: 379 km²
Composição: Farroupilha, Caxias do Sul, Pinto Bandeira e Bento Gonçalves.
IP desde 2015

Vinhos da IP: Moscatel espumante, vinho fino tranquilo branco Moscatel, frisante Moscatel, licoroso Moscatel, Mistela e Brandy de Moscatel

A IP Farroupilha é a mais nova Indicação Geográfica do país e a primeira exclusivamente de vinhos moscatéis, produzindo cerca de 50% do volume de produção da casta Moscato Branco no Brasil. Tradicional na região desde os anos 1930, essa variedade cultivada por centenas de pequenos viticultores tem perfil genético identificado como único no mundo. De todas as indicações geográficas de vinhos no Brasil, é a que ocupa a maior extensão territorial.

Algumas vinícolas certificadas:

Casa Perini, Farroupilha

A primeira vinícola de capital nacional a produzir espumantes no Brasil, em 1998, desenvolveu programas bem agradáveis de enoturismo. Além de degustações e do restaurante local, que serve pratos tradicionais italianos, a propriedade conta com uma ciclovia, construída recentemente, que passa pelos vinhedos. O melhor: as cestinhas das mountain bikes levam vinhos e espumantes gelados em ice bags, taças de acrílico e petiscos – de tábua de frios a empanadas deliciosas. casaperini.com.br

IP ALTOS MONTES

Área geográfica delimitada: 174 km²
Localização: Flores da Cunha e Nova Pádua.
IP desde 2012
Vinhos da IP: Espumantes finos brancos e rosados, Moscatel espumante, vinhos finos tranquilos brancos, rosados e tintos secos

Uma IP rica em peculiaridades: tem as maiores altitudes das Indicações Geográficas da Serra Gaúcha, daí o nome, com montes de até 885 metros de altura, e emprega sobretudo mão de obra familiar para cultivar uvas em pequenas propriedades. Foi pioneira na introdução e na difusão de uvas viníferas na Serra Gaúcha, nos anos 1930, e abriga, na área delimitada, a primeira videira de uvas viníferas do Brasil, na vinícola Luiz Argenta.

Visitas a vinícolas

Vinhos Monte Reale, Flores da Cunha

Na entrada da cidade, a sede desta vinícola, construída em 1970, tem fachada coberta por pedras. As visitas guiadas pelas instalações terminam com degustação de vinhos, espumantes e cervejas artesanais, em uma experiência chamada de Tour Enocervejeiro. Também são organizados piqueniques no jardim, com almofadas e mesinhas para degustar os vinhos, espumantes e cervejas da casa com produtos regionais, como queijos e fiambres. O restaurante da vinícola tem cardápio tradicional italiano, com direito a galeto, tortéi e polenta frita. montereale.com.br

Luiz Argenta, Flores da Cunha

Uma das vinícolas mais bonitas do país tem arquitetura contemporânea e instalações modernas, mas a atividade começou em 1999, com a aquisição dos vinhedos da histórica Vinícola Riograndense – os primeiros vinhos seriam lançados em 2009. As visitas percorrem as instalações, com degustações e programas especiais na cave. Durante a vindima, é possível acompanhar a colheita, terminando o passeio com um almoço no restaurante local, Clô, onde paredes de vidro descortinam uma vista hipnotizante para os vinhedos. luizargenta.com.br

IP PINTO BANDEIRA

Área geográfica delimitada: 81,38 km²
Localização: Pinto Bandeira, Farroupilha e Bento Gonçalves.
IP desde 2010
Vinhos da IP: Vinhos finos tranquilos e espumantes

Com altitudes que chegam a mais de 700 metros, esta IP vem se destacando pela produção de espumantes finos de alta qualidade. Aliada à experiência dos produtores, a combinação de fatores naturais como clima, relevo e solo construiu sua identidade própria. A região deve receber em breve a próxima Denominação de Origem (DO) para vinhos gaúchos, a DO Altos de Pinto Bandeira, com foco na elaboração de espumantes pelo Método Tradicional (com segunda fermentação na garrafa).

Dica de leitura:  De olho no céu do Valle del Limarí

Algumas vinícolas certificadas:

Cave Geisse, Pinto Bandeira

Uma das vinícolas mais incensadas da Serra Gaúcha oferece experiências diversificadas aos visitantes: de passeio em 4×4 pelos vinhedos e cachoeiras a degustações e open lounge no jardim com espumantes e petiscos, como tábua de frios e as irresistíveis empanadas chilenas, mesma nacionalidade do enólogo fundador da vinícola e pioneiro na produção de vinhos na região, Mario Geisse. cavegeisse.com.br

Don Giovanni

Charme não falta a esta vinícola com vinhedos em fase de conversão para o processo biodinâmico. É com vista para eles que, de um mirante, observa-se um pôr do sol em múltiplos tons alaranjados ao sabor de espumantes elaborados na casa, cuja expertise na produção desse tipo de vinho pelo Método Tradicional soma 40 anos. Dali partem ciclistas em direção à vinícola, onde acontecem as degustações – passeio realizado em parceria com a agência de viagens Dall’Onder (dallondertravel.com.br). Para terminar o dia muito bem, a dica é um jantar harmonizado no restaurante da pousada local, onde a hospedagem é disputada. dongiovanni.com.br

Restaurante:

Colheita Boutique Sazonal

Com apenas dez mesas e vista para os vinhedos, serve somente menus-degustação com base em ingredientes orgânicos prioritariamente cultivados nas proximidades. O conceito se apoia no movimento Slow Food, que valoriza o produto, o produtor e o meio ambiente. Imprescindível fazer reserva. facebook.com/colheitarestaurante/

Vale dos Vinhedos DO (VVDO)

Área geográfica delimitada: 72,45 km²
Localização: Pinto Bandeira, Farroupilha e Bento Gonçalves.
DO desde 2012, com IP registrada em 2002
Vinhos da IP: Vinhos finos tranquilos e espumantes finos
Composição: Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul

A primeira e única Denominação de Origem de vinhos brasileira concentra vinícolas dos mais variados perfis. Das familiares às de boutique, das de garagem, artesanais, às gigantes, que empregam a mais alta tecnologia. Pelo volume de produção, relevância e todos os valores que uma DO agrega à região, a oferta enoturística é bem maior do que nas outras indicações geográficas da Serra Gaúcha, com boa variedade de roteiros.

Algumas vinícolas certificadas

Pizzato Vinhas e Vinhos, Bento Gonçalves

Encravada em uma estradinha de terra onde já funcionou o antigo prédio da Vinícola Garibaldi, a pequena Pizzato pode até passar despercebida. Muito de seu charme, aliás, vem daí – foi a primeira a operar no Brasil a partir do conceito de boutique, em 1999. As degustações acontecem diariamente, com prova de oito vinhos e espumantes, e a programação especial tem eventos como harmonização de vinhos com queijos gaúchos ou charcutaria regional, além de degustações verticais. pizzato.net

Dom Cândido Vinhos Finos, Bento Gonçalves

Vizinha da Casa Valduga, esta vinícola familiar fundada por Cândido Valduga em 1986 cultiva seus vinhedos em pequenos lotes e produz vinhos somente com uvas próprias. Além de degustações e tours guiados, fazem sucesso os passeios de trator aberto pelos vinhedos centenários e a pisa de uvas no período de colheita (de janeiro a março). O restaurante, Videiras 1535, fica no interior da antiga cave. domcandido.com.br/

Guri Restaurante, Bento Gonçalves

A proposta é resgatar os pratos típicos dos Pampas, utilizando ingredientes e técnicas tradicionais de cocção da região, mais ao sul do estado. Os pratos, servidos à la carte ou em menus-degustação, são preparados em forno a lenha, na parrilla ou mesmo diretamente no fogo. O cardápio muda constantemente e já incluiu pratos como bolinho de charque de tainha e cupim braseado no Cabernet Sauvignon. gurirestaurante.com.br

Passeio de Maria Fumaça

A todo vapor, literalmente, uma locomotiva puxa seis carros e percorre 23 km, passando pelas cidades de Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa, em um passeio que dura 1h30. Há programas voltados a degustações de vinhos, como o L’Essenza del Vino, em que um sommelier conduz a degustação de tintos ou espumantes, dependendo da estação, com música folclórica ao vivo e visita ao Parque Cultural Epopeia Italiana. giordaniturismo.com.br

Por Luciana Lancellotti

Escrito por: Wine