Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Harmonização de A a W

Série Harmonizações Brasileiras – Minas Gerais

25 novembro 2016
  • 1726 visualizações
  • 0 comentários

Agora é a vez de Minas Gerais na série harmonizações brasileiras, uai. Venha conferir qual é a gostosura que escolhemos para você harmonizar.

 É só pensar em comida mineira que a imagem do fogão à lenha, que cozinha os alimentos mais lentamente, deixando o sabor inconfundível, nos vem à mente.  Sem dúvida, a história tem profunda relação com a caminhada gastronômica de Minas Gerais.

A composição dessa culinária possui raízes africanas, indígenas, tropeira e europeia. Impossível não se deliciar com delícias como feijão tropeiro, torresmo, frango caipira, tutu, angu, carne de porco na lata, quiabo, abóbora… Um mais saboroso que o outro.

Dois grandes períodos influenciaram fortemente a alimentação nesse estado. O primeiro foi durante o ciclo do ouro, no apogeu do século XVIII, quando surgiu a escassez dos alimentos, pois toda a mão de obra foi destinada às minas de ouro ou serviços que, de alguma forma, estavam ligados à mineração. Por isso, eram muito consumidos pratos com ingredientes que duravam mais tempo, como o charque, o feijão, a farinha e a carne de porco, armazenada na banha.

Dica de leitura:  Como guardar vinhos em casa

O segundo foi após o declínio do ouro, do final do século XVIII até meados do XX, em que as famílias saíram das zonas urbanas e se concentraram nas fazendas. A fartura de ingredientes mais frescos passaram, então, a integrar a mesa e o cotidiano mineiro, como a couve, a abóbora, o frango, o quiabo, os ovos e o leite.

A influência portuguesa é bem marcada na confeitaria de Minas. As frutas são usadas em diversas geleias, doces, compotas, pães e bolos que enchem a boca d’água séculos depois de suas criações.

Mas a dica de harmonização, desta vez, é um clássico mineiro salgado: o feijão tropeiro. O feijão se mistura à carne de porco, torresmo, linguiça, farinha e muitos temperos, portanto, o ideal são vinhos com bom volume e corpo, acidez presente e notas de especiarias ou tosta.

Partridge Gran Reserva Bonarda 2014Vinho Partridge Gran Reserva Bonarda 2014 – Com aromas de groselhas, framboesas, especiarias e baunilha, mostra boa estrutura ao paladar.

Dica de leitura:  Promoção Par Perfeito - Receita vencedora

 

Quinta do Portal Muros de Vinha Douro 2014Vinho Quinta do Portal Muros de Vinha Douro 2014 – Frutas vermelhas em compota, ameixa, cereja, especiarias e notas de canela são os aromas desse tinto.

 

Maycas Sumaq Reserva Syrah 2015Vinho Maycas Sumaq Reserva Syrah 2015 – Um Syrah intenso, rico em aromas de frutas, com notas terrosas, sobre toques de chocolate e pimenta.

Escrito por: Bia Miranda

Redatora e revisora da Wine, além de perdidamente apaixonada - e curiosa - pelo mundo do vinho.