Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Harmonização de A a W

Série Harmonizações Brasileiras – Pará

15 fevereiro 2017
  • 1578 visualizações
  • 0 comentários

Desta vez, trazemos a típica e riquíssima gastronomia do Pará na série harmonizações brasileiras. Confira.

O Pará é um estado que desperta interesse desde a época da colonização do Brasil, quando era chamado Grão Pará e administrado de perto por Marquês de Pombal. As riquezas únicas de suas terras, a mistura da enorme variedade de matérias-primas e um povo inventivo, criativo e batalhador, rendeu à sua capital, Belém, o título de Cidade Criativa da Unesco, com ênfase na gastronomia.

Atualmente, é definida como uma das culinárias brasileiras mais regionais e suas influências são típicas: portuguesa, africana e indígena, sendo essa última a de maior destaque. A mandioca figura em diversas preparações, como beiju, farinha d’água, tapioca e tucupi, um caldo que, sem provar, não há como descrever seu sabor.

A floresta amazônica também é marcante na mesa paraense, com os peixes, caranguejos, camarões, jambu, coentro, entre outros. Há ainda o cultivo de gado e de carnes de caça, além da pimenta-do-reino, cujo estado é o maior produtor do país.

Dica de leitura:  5 feiras do mundo do vinho

Para realizar uma imersão completa na gastronomia paraense, vale a pena conhecer o “Festival Ver o Peso”, maior evento gastronômico da Amazônia. Durante o mês de maio, Belém recebe vários nomes consagrados da gastronomia mundial e brasileira, que chegam ao estado para conhecer e interagir com ingredientes, técnicas e receitas da sua cozinha. É uma mistura bonita de se ver: um verdadeiro celeiro criativo.

Entre os vários pratos típicos, o pato no tucupi, servido com arroz branco e farinha, é o querido dos turistas. A Maniçoba se assemelha à famosa feijoada, com o diferencial de ser cozida com a folha da Maniva (a planta da mandioca) e demora, em média, uma semana para ficar pronta.

O Caruru é um prato de consistência cremosa, feito à base de farinha de mandioca, quiabo, camarões secos, tempero verde e azeite de dendê. A harmonização fica por conta de vinhos brancos ou rosés, de corpo leve a médio, frutados e com frescor em evidência. Um espumante brut também cai muito bem.

Dica de leitura:  Vinhos portugueses

Nossas indicações:

Kalfu Sauvignon Blanc 2016Vinho Kalfu Sauvignon Blanc 2016 – A fragrância frutada, cítrica e vegetal emoldura o paladar refrescante desse incrível branco.

JP Azeitão Seleção do Enólogo Rosé 2015Vinho JP Azeitão Seleção do Enólogo Rosé 2015 – Um rosé delicado e refrescante, marcado por seu perfil frutado, leve e saboroso.

Espumante Veuve D'Argent Blanc de Blancs BrutEspumante Veuve D’Argent Blanc de Blancs Brut – Frutas brancas como pera e maçã, delicadas notas de amêndoas, nozes e minerais.

Colaboração técnica: Taimmy Rodrigues

Escrito por: Bia Miranda

Redatora e revisora da Wine, além de perdidamente apaixonada - e curiosa - pelo mundo do vinho.