Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Sommelier Wine

Um brinde ao mais elegante dos vinhos no #ChampagneDay

22 outubro 2021
  • 9300 visualizações
  • 0 comentários

O espumante obrigatoriamente produzido na região francesa de mesmo nome ganhou uma data no calendário para ser comemorado. Bateu a curiosidade? Abaixo, descubra tudo sobre o champagne!

Celebrado no dia 22 de outubro, o #ChampagneDay é um motivo a mais para fazer um brinde ao mais elegante dos vinhos! 

A data, comemorada no mundo todo desde 2010, é escolhida anualmente pela Cap’C, uma associação que reúne representantes dos vinhedos da região francesa de Champagne

As sugestões dos produtores para o #ChampagneDay são simples: escolher o rótulo favorito de champagne, separar algumas taças, e lembrar de registrar o momento nas redes sociais com a hashtag temática. 

Dica de leitura: Olimpíadas das Uvas: entenda como funciona a pontuação de vinhos

A intenção é estimular a troca de conhecimento sobre os rótulos, e promover uma interação entre a comunidade consumidora e apreciadora de champagnes. 

No #ChampagneDay você pode indicar um exemplar para os amigos por meio de fotos ou vídeos, dar suas impressões sobre a degustação e mais. O importante é não deixar de celebrar a data!

De acordo com os idealizadores da ação, que está na 12ª edição, são consumidas cerca de 300 milhões de garrafas de champagne no mundo todo, a cada ano. 

O que define um Champagne?

O vinho espumante mais famoso do mundo é produzido na região de mesmo nome, resultado de muitos anos de melhorias e pesquisas entre alguns dos enólogos mais experientes da história. 

É importante ressaltar que para ser chamado de champagne, o espumante precisa obrigatoriamente ser feito a partir de uvas cultivadas, colhidas e vinificadas na região delimitada de Champagne. 

Dica de leitura: Aprenda técnicas infalíveis para tirar mancha de vinho do piso

As uvas que predominam na produção são Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier, mas outras variedades como a Arbane Blanc, Pinot Blanc e Pinot Gris também são admitidas na elaboração dos champagnes.

O gás que se forma na bebida vem da segunda fermentação natural, que ocorre já dentro das garrafas, chamada de método Champenoise (também conhecido como método tradicional ou método clássico). 

O teor de açúcar presente na bebida pode variar. Por isso, uma classificação nos ajuda a entender a diferença entre os exemplares: 

  • Extra brut: teor de açúcar de 0 a 6g por litro
  • Brut: menos de 12 g/l
  • Extra sec: entre 12 e 17 g/l
  • Sec: entre 17 e 32 g/l
  • Demi sec: entre 32 e 50 g/l
  • Doux: mais de 50 gr/l

A estimativa é de que 300 milhões de garrafas de champagne sejam consumidas anualmente no mundo todo.


Região de Champagne ostenta tradição secular

Localizada a cerca de 150 quilômetros ao leste de Paris, na França, a região de Champagne tem um terroir formado por microvinhedos que reúnem combinações específicas de clima, solo e topografia. 

De acordo com alguns registros históricos, há cultivo de uvas na localidade de Champagne desde os tempos do Império Romano. Para se ter uma ideia, por volta do século 5 d.C. já havia vinícolas na região.

Ouça também: Wineverso Podcast#Ep. 55 – Conheça a Denominação Vin de France

Mas tempos mais tarde, no século 17, foi Dom Pérignon que passou a investigar métodos de aprimorar a bebida, importando garrafas mais resistentes e reforçadas da Inglaterra para dar conta da pressão acumulada durante a produção. 

Pérignon  também foi responsável por desenvolver a segunda fermentação em garrafa.

Já nos anos 1920, a área de Champagne foi delimitada pela legislação francesa, englobando cerca de 34 mil hectares de vinhas, banhadas constantemente por chuva em estações como a primavera e o outono.

Percebeu como a história do tradicional vinho espumante francês é repleta de detalhes? Se ainda não se convenceu a fazer um brinde, reunimos alguns motivos abaixo!

Motivos para celebrar o #ChampagneDay

  • Os champagnes são conhecidos pela versatilidade nas combinações gastronômicas. Dependendo do rótulo, dá para harmonizar com peixes e frutos do mar, risotos, aves em diferentes preparos e até mesmo com sobremesas
  • Ampliar conhecimento e trocar informações sobre um dos vinhos mais consumidos do mundo, tendo a possibilidade de aprender mais sobre os champagnes e de descobrir novos exemplares do vinho

#ChampagneDay é um convite a mais para apreciar os champagnes (sempre com moderação!)

Cinco champagnes imperdíveis à venda na Wine

Abaixo, veja a lista de champagnes sugeridos pelos especialistas que fazem parte da equipe Wine. 

São opções variadas, com grande potencial para degustações e harmonizações, e que vão agradar os mais diversos paladares!

Champagne Krug Rosé Brut

Considerado pelos especialistas um dos melhores champagnes do mercado, o Krug Rosé passa por no mínimo sete anos de amadurecimento em caves, ganhando reflexos acobreados, e aromas de maçã vermelha e framboesa fresca, além de cereja e brioche.

Com potencial de guarda de até dez anos, é um exemplar pontuado por diferentes críticos do mundo do vinho. 

O paladar é encorpado e cremoso, com toque frutado e persistência na boca. 

Bom para ser consumido a 6 °C, o champagne Krug Rosé acompanha à mesa pratos como aves grelhadas, risoto de trufas, carnes delicadas, carpaccio de polvo, caviar e ostras.

Champagne Montaudon Brut Magnum

Os vinhos da Montaudon são famosos pelos aromas de frutas frescas, notas de mel e torradas. A maison foi fundada em 1891 e conquistou, ao longo do tempo, fama e prestígio internacional. 

Neste exemplar, é possível sentir as borbulhas delicadas encherem a boca com muito sabor e elegância. O paladar é seco, cremoso e refrescante, com persistência na medida certa.

A temperatura ideal de serviço é 8 °C, e o rótulo tem harmonizações sugeridas com ostras, caviar, pratos com salmão defumado e até mesmo com sobremesas, como frutas assadas com sorvete de creme. 

Champagne Jacquart Mosaïque Brut

Na taça, chama a atenção a delicadeza das incontáveis borbulhas deste champagne feito pela Maison Jacquart, reconhecida pela qualidade dos exemplares. Este mesmo alcançou 92 pontos na avaliação da revista Wine Spectator.

Elaborado a partir do método tradicional, com segunda fermentação em garrafa, é um vinho com aromas de pêra, pêssego, maçã e damasco. O paladar é intenso e refrescante, com médio corpo. 

Uma boa pedida para acompanhar carpaccio de salmão, camarão à provençal, lagosta grelhada na manteiga, vieiras gratinadas, risoto de frutos do mar, ou uma tradicional moqueca de badejo com camarões.

Champagne La Grande Dame Rosé 2004

Este rótulo estrelado integra a linha La Grande Dame, lançada em 1972 para comemorar o bicentenário da Maison Veuve Clicquot.

É um champagne rosé com boa estrutura no paladar, fresco e com frutado sutil perceptível nos aromas, que revelam toques minerais, de amêndoas e de fermento. 

Com potencial de guarda de 17 anos, vai bem à mesa com codorna recheada servida com purê de ameixa e macadâmias, lombo de porco com molho de jabuticaba, risoto de tomate seco, magret de pato ou com atum grelhado com crosta de gergelim. 

Champagne Montaudon Grande Rosé

Feito com uvas provenientes de um mesmo vinhedo, este champagne tem perlage delicada e volumosa. Apresenta aromas complexos com toques florais, de especiarias e de pão torrado.

Tem paladar elegante, cremoso e boa persistência, e combina com lagosta salteada na manteiga de alho e ervas, com ostras gratinadas, salmão grelhado com legumes, com massas ao molho de frutos do mar e saladas com frutas grelhadas. 

Aves com preparo simples e queijo brie completam a lista de harmonizações do Montaudon Grande Rosé.

Agora que já sabe os diferenciais do champagne e os melhores rótulos, conheça mais sobre os tipos de vinhos e descubra outras informações sobre nossa bebida preferida na Winepedia!

Escrito por: Wine