Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Sommelier Wine

O vinho e a barrica de carvalho

25 março 2015
  • 3170 visualizações
  • 0 comentários

Aprenda quais benefícios as barricas de carvalho podem proporcionar a um vinho e quais são os tipos mais utilizados.

Sempre que lemos um catálogo de vinhos ou uma ficha de degustação de um determinado produtor, somos informados acerca do uso ou não da barrica de carvalho que, quando bem utilizada na vinícola, agrega complexidade à bebida.

Isso ocorre porque a madeira pode liberar aromas ao vinho, como notas de baunilha, cravo, pão tostado, especiarias, como pimenta, defumado, alcaçuz e por aí vai.

A oxigenação lenta que ocorre nesse tipo de recipiente também permite uma evolução favorável da bebida, tanto visual como gustativa. Além disso, o sabor do vinho pode tornar-se mais atrativo pela maior maciez dos taninos.

Quanto mais novo o barril, mais aromas são transmitidos ao líquido, assim como mais taninos. Os barris novos também permitem maior oxigenação da bebida do que os barris velhos, já que os poros da madeira ainda não estão impregnados pelos depósitos de vinhos antigos.

Das mais de 250 espécies de carvalho, poucas são adequadas à produção de barricas, porém, muitos estudos vêm sendo realizados para encontrar outras interessantes.

Dica de leitura:  10 vinhos que você precisa provar

Hoje, grande parte das barricas utilizadas no mundo do vinho são feitas com o carvalho francês ou americano. Mas qual a diferença entre eles e o que determina a utilização de um ou de outro?

Carvalho francês

Na França, a madeira é extraída principalmente das florestas Limousin, Tronçais e dos Vosges. Uma das características do carvalho francês está no modo de preparo das barricas, que não são partidas com serras elétricas, mas fendidas.

Outro fator determinante é a secagem ao ar livre e não em estufa, o que confere ao carvalho um aroma próprio e diferenciado.

Quanto aos sabores e aromas que a madeira passa para o vinho, o carvalho francês é mais baunilhado e tem notas mais macias e doces que o carvalho das demais regiões. É recomendado para rótulos sutis, brancos ou tintos em que se busca mais a elegância do que a potência.

Carvalho americano

O carvalho dos Estados Unidos possui mais taninos. É mais intenso em óleos essenciais que o da França, por isso, a tosta é sempre mais alta, para arredondar e conferir maior riqueza de aroma e sabor à madeira e, consequentemente, ao vinho.

Dica de leitura:  Aromas da madeira no vinho

O sistema americano de preparo da madeira é mecanizado, por meio de mira laser e serra elétrica, além da secagem ser feita em estufa, onde o ambiente é controlado.

O carvalho americano é o preferido para os tintos robustos do Novo Mundo e para Chardonnay de regiões quentes. Os aromas mais característicos são de café, baunilha e coco queimado.

Curiosidades sobre as barricas

Além dos carvalhos francês e americano, o húngaro e o russo também são utilizados. Muitas vinícolas do Brasil, do Chile e da Argentina utilizam também o carvalho esloveno.

Barricas de carvalho têm a capacidade de permitir uma micro-oxigenação no vinho. Com isso, reduz-se a possibilidade de desenvolver aromas desagradáveis, provoca-se uma leve polimerização dos taninos, o que os torna menos agressivos e mais macios.

Aproveite para degustar vinhos deliciosos, com diferentes tempos de barrica, que indicamos ao lado!

Recomendamos para você:

( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
Escrito por: