Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Sommelier Wine

A diferença entre “suave” e “Soave”

20 junho 2016
  • 3187 visualizações
  • 2 comentários

Essas duas palavras são termos do mundo do vinho. Descubra o que eles significam.

O termo “suave” pode causar certa confusão quanto ao seu significado no mundo do vinho. Alguns consumidores utilizam essa expressão para descrever rótulos macios, leves e fáceis de beber, enquanto outros a caracterizam como uma doçura no paladar.

E se dissermos que apenas um desses conceitos está correto e que, além disso, “Soave” também é uma palavra relacionada à viticultura?

Apesar da sonoridade das palavras serem similares, “suave” e “Soave” possuem definições bem diferentes. Enquanto “suave” é uma classificação da Legislação Brasileira quanto ao teor de açúcar (glicose) no vinho, “Soave” é uma região italiana com Denominações de Origem específicas.

Na Legislação Brasileira, “suave” possui o termo “doce” como sinônimo. Ele faz referência ao teor de glicose em gramas por litro de vinho, sendo superior a vinte e cinco, até o limite máximo de oitenta gramas, para exemplares tranquilos (sem a presença de gás) e frisantes, vinificados em branco, rosé ou tinto.

Por isso, a partir de agora, tenha cuidado ao solicitar um vinho “suave”, pois você irá receber um rótulo com o paladar doce e não apenas macio, leve e fácil de beber, como é popularmente utilizado.

Dica de leitura:  6 livros digitais sobre vinhos

Já o termo “Soave” nomeia uma região localizada no Vêneto que detém uma das denominações de origem mais importantes da área. Com vinhedos reconhecidos oficialmente como parte do patrimônio rural do país, esse território produz vinhos brancos e secos, ou seja, não existe nenhuma ligação com o conceito de “suave” aqui no Brasil que explicamos acima.

De acordo com o Consorzio di Tutela del Soave, registros de terras de Napoleão citavam a existência de vinhas em Soave já em 1816. Reconhecida oficialmente como DOC, em 1968, a região possui vinhedos com mais de cem anos de idade e tem como principal variedade a Garganega. Considerada uma das uvas brancas mais antigas da Itália, essa casta pode ser encontrada em varietais ou em assemblages, com a Trebbiano di Soave, Chardonnay e outras variedades brancas autorizadas.

Conheça um pouco de algumas das denominações de origem da região:

Soave DOC: produz vinhos com uvas colhidas em toda a região, são mais delicados e indicados para o consumo do dia a dia.

Soave Classico DOC: elabora vinhos com uvas colhidas apenas nos municípios de Soave e Monteforte d’Alpone. Na Itália, a palavra “Classico” no rótulo expressa que o vinho foi feito com uvas cultivadas em uma área histórica.

Dica de leitura:  Dia do Imigrante Italiano

Soave Superiore DOCG: produz vinhos apenas com uvas de uma área de encosta específica. São rótulos envelhecidos e que só podem ser comercializados após um período determinado pela denominação.

Recioto di Soave DOCG: elabora vinhos de sobremesa.

Confira alguns exemplares que são classificados como suaves no país:

Porta Soprana Lambrusco Emilia IGP Bianco AmabilePorta Soprana Lambrusco Emilia IGP Bianco Amabile – Esse frisante branco tem aromas de frutas brancas frescas, é leve, agradavelmente doce, refrescante e cremoso.

 

Mirabello Lambrusco Emilia IGT Tinto AmabileMirabello Lambrusco Emilia IGT Tinto Amabile – Lambrusco típico, frisante, delicioso, cremoso, fresco e com notas de frutas vermelhas.

 

Tarapacá Late Harvest 2014 500mlTarapacá Late Harvest 2014 500ml – Vinho de sobremesa macio, doce, recordando mel e damasco, bem equilibrado e com final longo.

 

Fratelli Dogliani Moscato Asti DOCG 2014Fratelli Dogliani Moscato Asti DOCG 2014 – Levemente frisante, equilibrado, doce, frutado e com delicado frescor, esse exemplar possui aroma de frutas brancas.

 

Dr. Loosen Riesling Kabinett Blue Slate Demi Sec 2014Dr. Loosen Riesling Kabinett Blue Slate Demi Sec 2014 – Vinho com aromas de frutas, especiarias, anis, mineral e paladar levemente doce e fresco.

 

Escrito por: Nicole Batista

Sommelière e Bacharel em Química, fez imersão em algumas regiões vitivinícolas da Europa e América do Sul.