Sommelier Wine

Série uvas – Viognier

18 setembro 2015
  • 3876 visualizações
  • 5 comentários

Aromática e com pouca acidez, a Viognier é uma uva branca que vai dos brancos aos tintos. Descubra um pouco mais sobre essa variedade!

Encontrada, hoje, em diversos países como Chile, Argentina, África do Sul, Nova Zelândia e até no Brasil, ninguém diz que a Viognier já esteve à beira da extinção.

Pesquisadores acreditam que a terra natal dessa uva branca, cuja pronúncia é algo em torno de vee-on-yay, seja a Dalmácia (Croácia), mas que ela tenha sido levada para o Rhône, pelos romanos, há mais de 2.000 anos e por lá ficou.

Em 1965, existiam apenas oito hectares dessa cepa em todo o Vale do Rhône. De lá para cá, a popularidade da uva e de seus vinhos aumentou e ela passou a ganhar destaque dentro e fora da França.

Atualmente, além de fazer sucesso em casa, a Viognier também é uma das brancas de destaque na Califórnia e na Austrália.

Características dos vinhos da Viognier

Além de dar origem a excelentes vinhos varietais, a Viognier também faz bonito em cortes brancos e até tintos, suavizando e clareando os vinhos da uva Syrah, por exemplo.

Dica de leitura:  Vinho Barbaresco

– É uma uva de cultivo considerado difícil, com baixo rendimento e só deve ser colhida bem madura. Se for colhida precocemente, não desenvolve todos os seus aromas e sabores e, quando colhida tardiamente, produz um vinho oleoso e sem o perfume característico.

Os vinhos da Viognier podem ser secos e doces, já que seu mosto é bastante rico e a opção de Colheita Tardia também é viável.

– Quando utilizada sozinha, gera vinhos mais robustos, de baixa acidez, com teor alcoólico próximo a 13%, aromas de flores, mel e frutas, principalmente o damasco.

Como harmonizar

Os vinhos aromáticos e, geralmente, secos da uva Viognier vão bem com carnes brancas, como todos os tipos de aves e peixes, mas também os frutos do mar e os queijos suaves, como o brie. Massas ao molho branco, cozinha tailandesa, chinesa, pratos mexicanos, carne de porco e até frutas frescas também podem ser boas possibilidades de harmonização.

Dica de leitura:  Como servir vinhos

Para degustar

E. Guigal Côtes Du Rhônes Branco 2012E. Guigal Côtes Du Rhônes Branco 2012 – Apresenta aromas de damasco e pêssego branco, com notas de flores brancas. Em boca é rico e com bom frescor.

Lagarde Viognier 2013Lagarde Viognier 2013 – Fresco, frutado e equilibrado, este Viognier amadurece três meses na garrafa em um ambiente climatizado na própria vinícola.

Miolo Seleção Chardonnay / Viognier 2014Miolo Seleção Chardonnay / Viognier 2014 – Muito refrescante e, por isso, ideal para o clima brasileiro. Também agrada diversos paladares.

Escrito por: Nicole Batista

Sommelière e Bacharel em Química, fez imersão em algumas regiões vitivinícolas da Europa e América do Sul.