Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Curiosidades

Bonarda: a queridinha da Argentina que você precisa conhecer

20 setembro 2018
  • 5271 visualizações
  • 0 comentários

Uva tinta já foi muito utilizada em cortes para equilibrar outros vinhos, mas ganha cada vez mais protagonismo. Saiba mais!

Quando o assunto é vinho argentino, geralmente, a primeira coisa que vem à cabeça são os exemplares de Malbec. Mas, prepare-se para abrir espaço para outra variedade que merece (e muito!) a sua atenção: a Bonarda. É a segunda uva tinta mais plantada no país vizinho, ocupando algo entre 18 e 19 mil hectares de área para cultivo nos vinhedos. 

O valor corresponde a cerca de 15.92% do total das uvas tintas argentinas, superando outras mais conhecidas, como a Cabernet Sauvignon e a Merlot. Neste ranking a Bonarda fica atrás somente da Malbec, que ocupa 39% do total dos vinhedos argentinos. 

Mas atenção: cuidado para não confundi-la com a Bonarda italiana. A uva plantada em solo argentino é proveniente da região do Savoie, na França, e também é conhecida como Douce Noire. 

Bonarda: versatilidade no cultivo e no paladar

Uma característica de destaque da uva Bonarda é a facilidade de sua adaptação a diferentes terroirs, embora seu cultivo não seja exatamente dos mais simples. 

Boa parte dos vinhedos que cultivam esta uva tinta localizam-se a leste de Mendoza, em regiões conhecidas por serem mais quentes, já que a Bonarda tem um ciclo de amadurecimento extenso, demandando mais dias de sol e calor neste período (diferente das variedades mais comuns na região dos Andes, por exemplo). 

Os vinhos produzidos com Bonarda são ligeiramente mais frutados, e costumam ter aromas de cerejas, ameixas, frutas vermelhas em geral e especiarias, além de serem mais ácidos que os vinhos da uva Malbec. 

Geralmente têm taninos mais suaves, alta acidez, notas frutadas, além de uma graduação alcoólica que pode vir a ser um pouco mais baixa. 

À mesa, um bom vinho Bonarda acompanha carnes grelhadas com louvor! Entre as opções, vale apostar tanto em frango, porco ou carne bovina. Molhos agridoces completam a combinação com os aromas de especiarias da Bonarda, considerada por muitos uma uva exótica. 

Características de um bom Bonarda

  • Cor rubi, vermelho forte, com tons em violeta e roxo;
  • Aroma de frutas vermelhas como amora, morango, framboesa, ameixa e cereja;
  • Revela certa picância no paladar, devido à sua acidez;
  • Costuma agradar os apreciadores iniciantes, por ser um vinho fácil, de textura macia e sedosa;
  • É recomendado para harmonização com pratos menos condimentados;
  • A temperatura ideal para ir à taça varia entre 15 e 18º C.

No passado, esta cepa chegou a sofrer rejeição porque supostamente gerava vinhos de baixa qualidade, mas nos últimos anos, com o aperfeiçoamento e com a implantação de novos métodos de plantio, manuseio e produção, a fama do Bonarda mudou bastante.

Até por conta deste detalhe, a casta costumava ser utilizada  mais em cortes para ajustar e equilibrar alguns vinhos. Hoje em dia, é possível encontrar bons rótulos 100% Bonarda, como é o caso do Partridge Gran Reserva Bonarda 2017, amadurecido por 18 meses em barricas novas de carvalho 90% franceses e 10% americanos.

Outro exemplar de destaque da casta é o 1922 Bonarda 2020, da vinícola Bodega Barberis. Com taninos suaves e boa intensidade, é indicado para acompanhar um clássico argentino: empanadas de carne. Quem preferir algo mais elaborado pode optar por hambúrguer com geleia de bacon, ou até mesmo uma boa massa com almôndegas. 

Anotou tudo sobre a uva Bonarda e preparou o menu? Renda-se a esta variedade e escolha seu rótulo favorito em nosso site!

Escrito por: Wine