Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Curiosidades

Colheita da uva: saiba mais sobre essa técnica que é essencial à qualidade do vinho

26 novembro 2018
  • 11293 visualizações
  • 2 comentários

Você sabe o que é vindima? Esse nome diferente é um dos mais importantes processos da vitivinicultura: a colheita das uvas.

A colheita da uva, também conhecida como vindima, é uma atividade que envolve o trabalho de muitos meses. Isso significa que a vinha passa por um longo período de cuidados.  Se eles forem bem conduzidos, excelentes vinhos podem surgir.

Além do trabalho do viticultor, o tipo de solo e as condições climáticas devem auxiliar na colheita da uva. Saiba mais sobre essa técnica que, não por menos, promove festa, alegria e, principalmente, bebidas saborosas.

Quando ocorre a colheita da uva?

A colheita da uva deve acontecer quando a fruta atinge a maturação ideal. Ela envolve os parâmetros apropriados da quantidade de açúcares e ácidos necessários para dar origem a determinado vinho.

Geralmente, as vinhas modernas são acompanhadas de perto por análises criteriosas e periódicas dos frutos. Quando a maturação se aproxima, esse acompanhamento tende a diminuir, já que o êxito final da safra é, praticamente, garantido.

Como é realizada a análise das uvas antes da colheita?

Os especialistas em viticultura analisam parcelas homogêneas de solo, exposição e castas. Eles recolhem um determinado número de bagos de uva, que é encaminhado para o laboratório ou adega.

No local de destino, esses bagos são pesados esmagados. Dessa forma, são analisados os níveis de açúcar e ácidos do sumo. Vale dizer que os bagos são escolhidos por apalpação em distintas zonas do cacho. 

O que acontece com a uva ao longo da maturação?

O avanço da maturação das vinhas faz com que ocorra uma perda gradual dos ácidos málico e tartárico. Isso implica em maior concentração dos açúcares. É por isso que o dulçor de cada vinho depende dos gráficos ideais da colheita da uva

A colheita da uva é uma decisão tomada pelo enólogo junto com o viticultor. Quando mal efetuada, ela interfere diretamente na conservação e na qualidade das uvas e, consequentemente, dos vinhos. 

Para definir o momento ideal da colheita da uva, é preciso conhecer bem o fruto, seu grau de maturação, suas características e o terroir onde está cultivada. 

Primeiramente, é necessário medir o teor de açúcar das uvas para, então, estabelecer o grau alcoólico que o vinho terá. Geralmente, para cada grau de álcool, deve haver 17 gramas de açúcar. 

Em seguida, o enólogo e o viticultor já conseguem prever a melhor época para a colheita, acompanhando constantemente a concentração dos açúcares e dos ácidos nas uvas, que precisam se manter equilibrados.

O tipo de colheita que será praticado é uma decisão do produtor, mas também depende de alguns fatores, como o tipo de terreno local (plano, relevo), a quantidade de vinho que se quer produzir e até o perfil do produto.

Quais são os principais tipos e colheita da uva?

A colheita  da uva, originalmente, acontecia de forma manual. Não vai ser difícil você encontrar descrições envolventes desse processo na literatura, artes plásticas e cinema. Mas, devido à crescente falta de mão-de-obra, em 1960, o cenário mudou um pouco.

Esse contexto culminou na criação de outra modalidade de colheita da uva: a mecânica. Atualmente, essas duas atividades acontecem em maior ou menor proporção. Tudo depende da tradição local e do tamanho dos vinhedos. Confira o que significa cada uma.

Colheita de uva manual

É muito praticada em locais com relevos mais acidentados, e muitos produtores também a executam em vinhos com produção limitada, em vinhedos de parcelas únicas, vinhas velhas.

Uma de suas principais vantagens é a economia. Dependendo do tipo de terreno e da condução da vinha, um grupo de 10 viticultores pode colher, aproximadamente, 1 hectare por dia. 

A colheita manual oferece maior qualidade do vinho, já que ela acontece de forma mais detalhada e minuciosa. Isso faz toda diferença na seleção de videiras, cachos e bagos que compõem os vinhos doces botritizados. 

Colheita de uva mecânica

É mais utilizada em hectares mais extensos e planos, em produções de maior escala. Esse tipo de colheita corresponde ao trabalho de 5 viticultores na proporção hora/hectare. 

A colheita mecânica, para ter sucesso, depende da qualidade dos equipamentos e do trabalho minucioso do operador da máquina. Ela também deve levar em consideração a distância da vinha à adega, do nível de proteção das uvas, entre outros fatores.

Na maioria dos casos, a colheita da uva mecânica é aplicada às uvas tintas, já que não oferece desvantagem significativa em relação à colheita manual. 

Vale lembrar que, isoladamente, sendo manual ou mecânica, o tipo de colheita não determina a qualidade do produto. A colheita manual permite uma seleção criteriosa dos melhores cachos desde o vinhedo.

No entanto, as uvas colhidas mecanicamente também podem ser submetidas a uma seleção antes de iniciar o processo de vinificação. Como a gente já disse, cabe ao enólogo e ao viticultor decidirem o tipo de colheita da uva e o dia em que ela ocorrerá.

Essa decisão influencia na preservação dos cachos, principalmente no tempo de deslocamento entre o trajeto das vinhas até a adega.

Colheitas especiais

Alguns tipos de vinhos são preparados com uvas atacadas pela podridão nobre ou uvas geladas. Eles estão inseridos em um contexto das vindimas mais difíceis e caras do mundo. 

No caso da podridão nobre, o fungo ataca gradualmente a colheita. Dessa forma, a vindima deve ser realizada em diversos momentos justamente para apanhar as uvas ou as partes atingidas pelo fungo.

Em relação ao vinho de gelo, que é um tipo alemão relativamente recente, as uvas são deixadas na vinha até novembro ou início do ano seguinte. Isso é necessário para que as uvas sejam submetidas às temperaturas mínimas necessárias.

Normalmente, quando elas forem expostas a 8º C negativos, a colheita da uva pode ser realizada com sucesso e durante a noite. Assim que chegam na adega, as frutas são prensadas imediatamente, de forma a manter os cristais de gelo e o mosto doce. 

Atualmente, muitos produtores estão optando pela colheita noturna. Esse período traz muitos benefícios para as uvas, para o processo de vinificação e para o vinho, como uma maior preservação da acidez, dos aromas e sabores naturais da uva, entre outros.

Com essas informações, você já pode avançar na descoberta desse universo incrível que envolve tradição, técnica, modernidade e um amplo leque de aromas e sabores. 

Continua aqui com a gente para ter acesso a mais conteúdos que te ajudarão a fazer as melhores escolhas para as melhores ocasiões.

Escrito por: Wine