Curiosidades

Vinhos Beaujolais

14 novembro 2018
  • 4390 visualizações
  • 0 comentários

Conheça os diferentes estilos e denominações da região de Beaujolais.

Beaujolais é uma pequena região vitivinícola francesa, localizada em Bourgogne. Com diferentes tipos de solo ao longo de sua extensão, entre eles o argilo-calcário e o granítico, essa área apresenta altitudes que variam de 700 a 1000 metros acima do nível do mar.

A uva emblemática dessa região é a Gamay, uma variedade tinta nativa de Bourgogne. É ela quem dá vida aos exemplares tintos e rosés de Beaujolais. Uma das primeiras castas a ser colhida, a Gamay tem entre as suas principais características a alta acidez, a pele fina e os aromas de frutas vermelhas como cereja, morango e framboesa.

Essa região possui 12 diferentes Denominações de Origem (Appellations d’Origine Protégée ou A.O.P.), divididas em Beaujolais, Beaujolais Villages e os Crus de Beaujolais, este último engloba 10 denominações que representam a elite dos exemplares da região.

A A.O.P. Beaujolais abrange a maior superfície geográfica da região e tem o argilo-calcário como o principal tipo de solo. Por lá os vinhos tintos são os mais produzidos, mas a denominação também permite a elaboração de rosés e brancos, porém, esses ainda são pouco difundidos no mundo.

Dica de leitura:  Hunting na França

Os tintos e os rosés são feitos com a uva Gamay, mas a legislação permite utilizar outras variedades específicas com porcentagens estabelecidas. Já o branco é produzido com a Chardonnay.

Indicado para ser consumido jovem, o vinho dessa denominação possui um estilo típico, que destaca leveza, boa acidez e muita fruta.

A A.O.P. Beaujolais Villages destaca o solo granítico. Por lá o vinho tinto também é o mais produzido, e os rosés e brancos também são permitidos. Abrangendo uma área que possui diferenças no terroir, os exemplares dessa denominação poder ter aromas de groselha e morango. Alguns rótulos possuem potencial para serem guardados por alguns anos.

Nas denominações Beaujolais e Beaujolais Villages, está a produção do Beaujolais Nouveau, que é o primeiro Beaujolais tinto a ser disponibilizado no mercado mundial a cada nova safra. O lançamento para o mundo, que ocorre sempre na terceira quinta-feira de novembro, é marcado por diversos eventos que acontecem em diferentes países.

Além dessas duas denominações, a região possui 10 diferentes crus, são eles: Brouilly, Côte de Brouilly, Régnié, Morgon, Chiroubles, Fleurie, Moulin-à-Vent, Chénas, Saint-Amour e Juliénas.

Dica de leitura:  Vinho Madeira

Essas pequenas e específicas áreas, refletem a tipicidade do terroir local em seus vinhos, que são considerados os mais premium de toda a região. Os principais tipos de solo encontrados nos territórios dos crus são o xisto e o granítico.

As denominações dos crus de Beaujolais só permitem a elaboração de vinhos tintos, destacando a uva Gamay. Mais complexos e com potencial para guarda, esses vinhos expressam todo o potencial dessa região que, além de grandes vinhos, possui algumas atrações enoturísticas, como a Rota do vinho de Beaujolais, um circuito de 140 km de extensão, que passa por todos os crus da região.

A região também possui diversas vinícolas que recebem turistas para degustações, além de alguns museus abertos para visitação, entre outras atrações. Você encontra todas as informações em um dos sites oficiais da região, como o Beaujolais Vignoble e o Beaujolais.

Escrito por: Nicole Batista

Sommelière e Bacharel em Química, fez imersão em algumas regiões vitivinícolas da Europa e América do Sul.