Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Sommelier Wine

Vinhos sem safra

26 dezembro 2016
  • 2801 visualizações
  • 6 comentários

Nem todo vinho é safrado. Saiba tudo sobre os vinhos sem safra.

Em alguns casos, a especificação da safra pode ser um indicador da qualidade para determinado rótulo, principalmente, quando sua região de origem tem grande variação climática a cada ciclo anual da videira.

Muita chuva na época da colheita, por exemplo, pode fazer com que a uva concentre excesso de água na polpa, resultando em um suco diluído e de pouca qualidade para a produção de vinhos.

Mas é possível fugir à influência da safra? Sim. Há estilos de vinhos que não trazem essa indicação e não por simples exclusão. São propositalmente elaborados para ter um perfil que não se altere de acordo com a safra. Isso ocorre com o Champagne, o vinho do Porto, o Jerez e outros exemplares que buscam o mesmo objetivo.

No caso dos mais célebres espumantes do mundo, cada Maison de Champagne desenvolve sua “receita secreta” que a difere das demais. Assim, ano após ano, repetem o processo com o objetivo de entregar sempre a mesma experiência a quem aprecia seu estilo particular.

Dica de leitura:  Vinho e chocolate: combinação perfeita

Para manter esse caráter constante, o vinho base, que ainda sofrerá uma segunda fermentação, é misturado com vinhos de safras diferentes, que também podem ser provenientes de vinhedos diferentes. Tudo em busca da linearidade das características e da personalidade.

Resumindo: a não indicação da safra em um rótulo não é sinônimo de baixa qualidade. É apenas um indicativo do estilo constante do vinho.

Quanto ao tempo de guarda, não se preocupe, pois o nosso estoque é constantemente renovado, por isso, você pode contar a estimativa de guarda a partir do ano vigente da aquisição da garrafa. Se a garrafa foi adquirida em 2016, e o potencial de guarda é de 4 anos, o consumo é indicado até 2020, desde que seja armazenado em condições ideais.

Conheça alguns vinhos não safrados e tenha as características que você mais gosta todos os anos na sua taça.

Dica de leitura:  A acidez no vinho

Champagne Jacquart Mosaïque BrutChampagne Jacquart Mosaïque Brut – Com 92 pontos Wine Spectator, esse rótulo é intensamente refrescante, cremoso e elegante.

 

Burmester Tawny PortoVinho do Porto Burmester Tawny – Aromas de frutas maduras e secas, com notas de baunilha e castanhas. No paladar, possui acidez equilibrada com a doçura.

 

González Byass Tio Pepe Jerez Fino D.OJerez Fino González Byass Tio Pepe D.O – O aroma desse exemplar, que conquistou 93 pontos Guia Peñin, é mineral, com notas de caju e mel discreto.

Escrito por: Taimmy Rodrigues

Sommelière, capixaba, com formação em História, Alta Gastronomia e em vinhos pela WSET.