Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Sommelier Wine

Como é feito o espumante rosé

14 julho 2017
  • 6039 visualizações
  • 0 comentários

Fresco e, na maioria das vezes, delicado, o espumante rosé tem despertado a curiosidade de muita gente. Descubra aqui como ele é feito.

Já explicamos aqui dois principais métodos de elaboração dos espumantes: o Champenoise, também conhecido como clássico ou tradicional, no qual a segunda fermentação alcoólica acontece individualmente dentro de cada garrafa, e o Charmat, que ocorre em tanques de inox que suportam alta pressão.

Assim como os espumantes brancos, os rosés são elaborados pelos mesmos métodos. A diferença está em uma etapa, para que seja obtida a tonalidade desejada. Para exemplificar, tomamos como base dois espumantes que já integraram uma das nossas seleções do ClubeW Espumantes.

Os espumantes Louis Bouillot Blanc de Noirs Brut e Louis Bouillot Rosé Brut foram elaborados com as mesmas uvas tintas (Merlot, Pinot Noir, Gamay e Grenache) e, a partir do mesmo método, o tradicional. Contudo, um é branco e o outro rosé.

Para obter o espumante branco a partir das tintas, o enólogo da Louis Bouillot retirou todas as cascas das uvas na elaboração do vinho base. Sendo assim, a vinificação ocorreu igual à de um vinho branco. Já no rosé, ele fez o que costumeiramente é feito com os vinhos rosés, uma maceração pré-fermentativa, ou seja, antes de iniciar a fermentação alcoólica, deixou o mosto (sumo das uvas) em contato com as cascas, sob uma temperatura controlada.

Dica de leitura:  Receita de lulas empanadas com aioli

Sem a presença de álcool – já que a fermentação ainda não começou –, a extração de antocianinas se dá de forma fácil e a liberação dos taninos já não ocorre com tanta facilidade. Após atingir a tonalidade desejada, as cascas são retiradas. Sendo assim, o tempo que o mosto ficará em contato com a casca vai depender da cor que o enólogo deseja para o seu espumante.

Para cores mais intensas, deixa-se o mosto mais tempo em contato com as cascas. Se o objetivo for cores mais suaves, o mosto deve ficar menos tempo em contato com as cascas das uvas.

O que são antocianinas?

São pigmentos que dão a coloração para os vinhos e estão contidos exclusivamente nas cascas das uvas. As antocianinas têm uma função muito importante. Elas possuem intensa atividade antioxidante, o que protege a bebida de ações degradantes.

Dica de leitura:  Filmes e vinhos para brindar o Dia do Cinema Brasileiro

Curiosidade sobre o espumante rosé

O primeiro espumante rosé assemblage foi feito por Barbe-Nicole Ponsardin, mais conhecida como Madame Clicquot, uma das mulheres mais importantes do mundo do vinho. Casada com François Clicquot, ela aprendeu todo o processo da elaboração do champagne.

Após a morte do marido, além de assumir os negócios da família, com 27 anos de idade, ela inventou etapas importantes que envolvem a elaboração dos espumantes como o remuage, que retira os sedimentos do vinho, e o primeiro espumante rosé assemblage, adicionando uma parcela de vinho tinto ao espumante.

Recomendamos para você:

( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
Escrito por: