Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Diário do Winehunter

A casa é sua

01 fevereiro 2019
  • 5615 visualizações
  • 0 comentários

Durante todo o ano, recebemos parceiros vindos de várias partes do mundo, sempre com imenso prazer. Confira algumas dessas visitas.

Da mesma forma que viajamos em busca das melhores experiências para os Sócios Clube Wine, temos o prazer de receber, aqui no Brasil, os amigos parceiros do mundo todo.

Não se trata de uma logística muito simples, já que, geralmente, nessas viagens eles também estão visitando outros clientes, em diferentes países. Uns vêm da Europa, outros dos Estados Unidos e até mesmo da Oceania.

Diário do Winehunter

E a partir do roteiro de cada um deles, adequamos nossas agendas para recebê-los da melhor forma, sempre de braços abertos. Há também aqueles que têm a agenda tão cheia que chegam pela manhã e à tarde já partem, pois nossa malha aérea não contempla muitos horários de voo por enquanto.

Às vezes, por exemplo, um voo de Mendoza, na Argentina, até Vitória, onde fica nossa sede, pode levar um dia inteiro. Esses profissionais do mundo do vinho têm costumes próprios, muitos com restrições alimentares, e vão prosseguir em viagem.

Dica de leitura:  Receita de kebab com molho de iogurte

Diário do Winehunter

Portanto, temos que ser cuidadosos ao recepcioná-los. Recentemente fomos pegos de surpresa, em um almoço incrível. Todos estavam servidos de um ravióli recheado com gorgonzola delicioso – até descobrirmos que o parceiro era alérgico a queijo.

Mas antes ele só havia avisado que não queria parmesão ralado… No fim deu tudo certo, pedimos outro prato e a história terminou bem. Em algumas ocasiões, nos permitimos um pouco de ousadia.

Diário do Winehunter

Certa vez, recebemos um grupo de americanos da maior vinícola familiar do mundo para comer pastel na feira – com direito a caldo de cana, claro! Todos sobreviveram. E adoraram!

Quem nos conhece já sabe que não é um procedimento nosso degustar as amostras na presença dos parceiros – pode ser o diretor da vinícola, o enólogo ou mesmo o proprietário. Até porque os vinhos viajaram e, assim como nós, precisam de um descanso.

As garrafas são armazenadas imediatamente em nossa adega e só serão abertas após alguns dias. Mesmo assim, como em toda amizade e relacionamento, há alguns que querem voltar para casa com nosso feedback. Daí não tem jeito, abre-se a garrafa.

Dica de leitura:  Um passeio pela Fashion Week do vinho

Nosso Centro de Distribuição também faz parte da visita, pois todos os visitantes têm grande curiosidade, querem ver como é levada a sério uma logística tão grande e eficiente. E não há como vir ao Espírito Santo e sair sem comer uma boa moqueca capixaba – já faz parte do roteiro, eles adoram.

Diário do Winehunter

Também, pudera! Essa especialidade do estado é mesmo uma delícia! Muitos trazem presentes, às vezes pequenos mimos, lembranças que guardamos com muito carinho. Há também quem traga comida típica, queijos, bebidas…

Nunca me esqueço de um salame trazido de Beaujolais, com aroma realmente muito típico [risos]. Que sempre venham nossos amigos, que se sintam em casa. Estaremos sempre de braços abertos.

Escrito por: Vicente Jorge

Winehunter, já lecionou em cursos de sommelier e tem mais de 22 anos de experiência no mundo do vinho.