Diário do Winehunter

Curiosas classificações de Bordeaux

29 fevereiro 2016
  • 1691 visualizações
  • 2 comentários

Conheça curiosidades por trás das classificações de vinho em Bordeaux com nosso Winehunter Manu Brandão.

Desde que comecei a trabalhar com vinho, tenho interesse pelo vasto conteúdo desse mundo e alguns me despertam mais a atenção, como as classificações dos vinhos em Bordeaux. Um assunto que pode até parecer familiar, já que muitos pensam compreender. Mas que, na verdade, é repleto de detalhes curiosos e até confusos.

Palavras como 1º Cru Classé, Grand Cru Classé e outros não se explicam por si só. Por isso, como um bom francês, decidi tentar explicar um pouco melhor toda essa termologia complicada. Veja bem, tentar. Vamos lá!

De início, é preciso saber que existe uma classificação mais famosa na região, que é a de 1855 do Médoc, pedida por Napoleão III (e não o Napoleão Bonaparte), durante a exposição Universal em Paris. Daí saiu a lista dos Grands Crus Classés.

Essa classificação foi feita somente para os mais de 5.000 châteaux da margem esquerda da região vitícola de Bordeaux. Ela conta com 60 Crus do Médoc e somente um Cru Graves, o Château Haut Brion, local em que eu e o Vicente estamos na foto acima.

Resumindo, essa divisão ficou da seguinte maneira: 5 Premiers Crus, 14 Deuxièmes Crus, 14 Troisièmes Crus, 10 Quatrièmes Crus e 18 Cinquièmes Crus.

A classificação de 1855 do Medoc foi alterada uma única vez, em 1973 quando o Château Mouton Rothschild passou de 2º Cru Classé para 1º Cru Classé. O Barão entrou numa batalha de 40 anos para conseguir o nível máximo. Ano passado, visitamos o château com alguns Sócios do ClubeW. Olha só:

Dica de leitura:  Penedès - Roteiros do vinho

Diário do Winehunter

Em paralelo à classificação do Médoc, também durante a Exposição Universal, foi definida a de Sauternes et Barsac, que abrange 26 tipos de brancos licorosos dessa região, ficando assim divididos: 1  Premier Cru Supérieur, 11 Premiers Crus e 14 Deuxièmes Crus. Um fato curioso aqui é que o Château d’Yquem foi reconhecido com destaque e, por isso, é o único Premier Cru Supérieur.

100 anos depois, em 1955, foi feita a classificação de Saint-Émilion, que refere-se apenas à denominação Saint-Émilion-Grand-Cru. Até 2012, eram classificados 61 Crus, dos quais quinze eram 1º Grands Crus Classé. A partir desse ano, a classificação ficou assim: 18 Premiers Grands Crus Classés (4 A e 14 B) e 64 Grands Crus Classés. É revisada a cada 10 anos. Na foto abaixo, eu e o Vicente admiramos os tanques de concreto de um Premier Cru Classé A, o Château Cheval Blanc.

Diário do Winehunter

Também existe a classificação des Graves, que é composta por 6 Crus Classés Tintos e Brancos, 7 Crus Classés Tintos e 3 Crus Classés Brancos. O Château Haut Brion faz parte dessa e da Classificação dos Grand Cru do Médoc de 1855, sendo o único vinho de Bordeaux classificado duas vezes.

A classificação dos Crus Bourgeois é a mais polêmica. Em 1932, 444 domínios foram assim consagrados. Em 1956, esse número caiu para 94. Após um procedimento, em 2003, uma nova classificação com 247 Crus foi estabelecida, segundo três categorias hierárquicas: 9 Crus Bourgeois Exceptionnels, 87 Crus Bourgeois Supérieurs e 153 Crus Bourgeois. Hoje, são 241 Crus sem divisão por categoria.

Dica de leitura:  Os principais tipos de vinhos

Já a classificação dos Crus Artisans existe há mais de 150 anos, conta com apenas 44 crus e suas propriedades somam 340 hectares. O Château Béhèré era o único Cru Artisan de Pauillac, mas foi vendido em 2012 para um Grand Cru Classé. Tivemos a oportunidade de adquirir as últimas garrafas das safras 2010 e 2011. Abaixo, um registro das visitas que fiz ao local, acompanhado do dono, o Jean Gabriel Camou.

Diário do Winehunter

Uma última curiosidade: em 1943, em meio à Segunda Guerra Mundial, foi organizada a classificação de Pomerol, que seguiu critérios similares à de 1855 do Médoc e também foi repartida em 5 categorias: um 1º cru Classé (Petrus), seis 2º cru Classé, dois 3º Cru Classé, seis 4º cru Classé e onze 5º cru Classé.

Contudo, ao fim da guerra, a classificação de Pomerol foi abandonada e até hoje não há uma especificação oficial na região. Neste registro, Vicente está na Semana dos Primeurs de Pomerol, em degustação no Château La Conseillante.

Diário do Winehunter

Muita gente fala que há somente cinco 1º Crus Classés em Bordeaux. Mas, na verdade, existem 36, considerando as diversas classificações oficiais e a não oficial (Pomerol).

Bom, espero ter esclarecido um pouco da burocracia por trás dos vinhos dessa região. Qualquer dúvida, basta perguntar logo abaixo. Até a próxima!

Escrito por: Manu Brandão

Winehunter, francês e nativo de Bordeaux com mais de 25 anos de experiência no mundo do vinho.