Diário do Winehunter

Nossa última viagem do ano

30 dezembro 2016
  • 1789 visualizações
  • 0 comentários

A última viagem de 2016 foi coroada com mais uma condecoração incrível. Saiba como foi esse evento aqui.

Nossa última viagem do ano aconteceu junto a mais uma condecoração: a Confrérie des Chevaliers du Tastevin, na Borgonha.

Começamos os trabalhos no Château Pierreux, em Beaujolais, onde nossa querida amiga Cécile Bossan teve a paciência de receber mais de 150 amostras do mundo inteiro para nosso último painel anual de degustação.

Diário do Winehunter

Só este ano, foram 21 viagens ao exterior, mais de 52 vinícolas visitadas e mantemos o ritmo de uma média de 2.000 vinhos degustados, além de 3 malas extraviadas. Essa parte é pior que vinho ruim. Rs.

Foram tantos vinhos que alguns deram trabalho para o Manu descobrir de onde vieram. Foi um painel de altíssimo nível. Aguardem.

Diário do Winehunter

Deixamos o Beaujolais em uma manhã fria com a certeza de voltarmos ao Château Pierreux, pois ali nos sentimos em casa. Já nos hospedamos várias vezes lá e a simpática e querida Madame Galan sempre nos surpreende com pratos bárbaros típicos borgonheses, de produtores locais ou da própria horta do Château.

Dica de leitura:  Vida de Winehunter - Momento relax

Rumo a Puligny, chegamos ao incrível Le Montrachet Hotel e Restaurante (fantástico!), onde continuamos a orgia gastronômica que é a Borgonha. Foi lá que comi o melhor escargot da minha vida.

Diário do Winehunter

O lugar é realmente incrível, nem me importei que minha reserva estava “Bixente Jorge”. Rs. Se quiser conhecer, vale a pena, porém, é bom se programar porque o local fica um fechado no inverno por um tempo.

À noite, nos preparamos em grande estilo, com um friozinho na barriga, para o grande evento no Clos de Vougeot. Nós estávamos ansiosos como sempre.

Diário do Winehunter

Situado na Route des Grands Crus, itinerário que atravessa os principais vinhedos e vinícolas da Borgonha, o castelo Clos de Vougeot, uma grande e bela edificação, cuja construção foi iniciada nos anos 1200, é sede de uma das confrarias mais prestigiosas do mundo, a Confrérie des Chevaliers du Tastevin, que nasceu em Nuits Saint Georges, no dia 16 de novembro de 1934, em resposta à crise econômica, com quebras acentuadas de vendas, que deixaram as caves cheias de prestigiados vinhos.

Dica de leitura:  Diversão e muito vinho em Portugal

Diário do Winehunter

Até hoje, o seu papel, tanto na significação do terroir, como na propaganda a favor dos vinhos, especialmente os de Borgonha, continua sendo muito considerável. O cerimonial que preside os capítulos é inspirado em Rabelais e em Molière, e oferece um espetáculo muito tradicional, que se caracteriza pelo seu humor, o seu sentido de conveniência e de cultura do vinho. Hoje tem 12.000 membros, incluindo reis, rainhas e príncipes, industriais, fazendeiros, banqueiros, políticos e artistas provenientes de muitos países.

Encerramos nossa jornada na adega do nosso grande amigo Hérve, em Puligny, onde passamos a manhã provando rótulos incríveis. Uma adega impressionante pelas preciosidades e raridades.

Abraços e até o ano que vem!

Escrito por: Vicente Jorge

Winehunter, já lecionou em cursos de sommelier e tem mais de 22 anos de experiência no mundo do vinho.