Diário do Winehunter

O que vimos na Quinta do Crasto

05 março 2015
  • 782 visualizações
  • 6 comentários

Conheça um pouco de uma das mais tradicionais vinícolas do Douro, a Quinta do Crasto.

Por Vicente Jorge

Quando chegamos à Quinta do Crasto, no Douro, já ficou claro para nós o porquê do seu nome. Crasto, do latim crastum, significa forte romano. E a Quinta está instalada em um verdadeiro forte, no topo de uma colina e com vista para todos os lados do Douro. Um espetáculo!

Os primeiros relatos da existência dessa Quinta datam de 1651. Porém, foi em 1981 que se tornou referência de qualidade internacional. E é para esse lugar incrível que levaremos os Sócios ClubeW Classic que encontrarem o Passaporte do Winehunter na WineBox do mês, uma ação que comemora os 5 anos do ClubeW.

Confesso que não é fácil chegar na Quinta do Crasto, a estrada é estreita e com curvas fechadas. Mas a vista é compensadora. No caminho, passamos por um bosque muito bonito, de natureza impressionante. E em alguns trechos, parece que estamos em um avião, como no da foto abaixo.

Dica de leitura:  A diversidade de vinhos do Douro

2

Na vinícola, fomos convidados para uma prova de toda a linha comercializada pela vinícola. Que é realmente boa, tudo muito bem feito.

Também fomos surpreendidos com uma prova de vinhos elaborados na mais recente aquisição, a Quinta da Cabreira no Douro Superior. Aguardem, que virão novidades de lá!

3

Além das degustações incríveis, conhecemos a sala de barricas bárbara da Quinta. Todas as barricas estão em um encaixe que permite girá-las a 360 graus para a prática do Bâtonnage, manejo que possibilita que as borras se desprendam do fundo misturando-se em todo o líquido da barrica.

5

Uma atração a parte na Crasto é a piscina com vista para o Douro, ambos se confundem e parecem ser uma coisa só. A beleza é incrível, mas só dá para frequentá-la no verão. Neste dia estava beirando os 7 º C e confesso que não deu coragem de entrar. Rsrs

Dica de leitura:  Vinhos verdes

4indicacao-do-winehunter

Escrito por: Vicente Jorge

Winehunter, já lecionou em cursos de sommelier e tem mais de 22 anos de experiência no mundo do vinho.