Sommelier Wine

O que é Prosecco?

11 abril 2016
  • 24011 visualizações
  • 0 comentários

Uva, estilo, região ou Denominação de Origem? Saiba o que significa o termo Prosecco.

Desde a época dos romanos até o recente ano de 2009, o nome Prosecco esteve relacionado a uma uva branca, proveniente do Nordeste da Itália, mas cultivada em diversas regiões vitivinícolas do mundo.

Mas, após a disseminação dessa variedade e do estilo do espumante com ela elaborado, os produtores italianos por trás da bebida começaram a lutar para resgatar a personalidade e as raízes do produto.

Alguns acontecimentos marcaram sua história, como os primeiros limites demarcados da área de produção de Prosecco, em 1930; a fundação do Consorziodi Tutela de Prosecco di Conegliano e Valdobbiadene, por 11 produtores, em 1962; e a regulamentação da Denominação de Origem Controlada Prosecco (DOC), que foi concedida para 15 municípios localizados entre Conegliano e Valdobbiadene, 1969.

Situada no nordeste da Itália, a área de produção do Prosecco abrange cinco províncias do Vêneto – Treviso, Veneza, Vicenza, Pádua, Belluno – e quatro de Friuli Venezia Giulia – Gorizia, Pordenone, Trieste e Udine.

Inseridas na província de Treviso, também no Vêneto, existem outras denominações ainda mais específicas, localizadas entre as regiões de Conegliano até Valdobbiadene. Essa área, considerada o coração do Prosecco, abrange 15 municípios.

Esses anos foram muito importantes para a trajetória do Prosecco, porém, foi em meados de 2009 que a legislação e a denominação foram atualizadas. Nessa revisão, uma das denominações foi elevada (até então, o nível máximo era DOC) para Denominação de Origem Controlada e Garantida (DOCG), topo do nível de qualidade do vinho italiano. Além disso, a uva Prosecco passou a se chamar Glera.

O rendimento por hectare, a graduação alcoólica mínima e especificações de cultivo e vinificação são algumas das normas exigidas pela Denominação de Origem. Entre elas também está a definição de quais variedades são permitidas na produção e suas porcentagens.

Dica de leitura:  A versatilidade da Chardonnay em 11 vinhos

Por isso, um Prosecco deve conter, no mínimo, 85% de Glera em sua composição. Essa variedade, que amadurece no final do período da colheita (primeiras semanas de setembro), pode ser somada a 15% de outras específicas: Verdiso, BianchettaTrevigiana, Perera, Glera Lunga, Chardonnay, Pinot Bianco, Pinot Grigio e Pinot Nero, também conhecida como Pinot Noir.

Todas essas uvas devem sempre ser vinificadas em branco, pois a denominação não permite exemplares do tipo rosé ou tintos. Outro ponto é que a utilização dessas variedades pode ser de apenas uma ou mais combinadas, desde que não ultrapassem a porcentagem exigida.

Elaborado pelo método Charmat, que consiste na segunda fermentação realizada em tanques, e com o sur lie (contato com as borras) permitido, o Prosecco pode ser classificado quanto ao teor de açúcar residual, na sua denominação de origem como Brut, Extra-Dry, Seco ou Demi-Sec.

Diferenças entre Prosecco, Champagne e Cava

Tanto o Prosecco, quanto o Champagne e o Cava são vinhos espumantes, com a presença de bolhas, a famosa perlage, por causa do gás carbônico. Porém, cada um deles tem suas especificações.

Champagne

Da mesma forma que o Prosecco, para ser chamado de Champagne, o espumante tem que ser elaborado na região homônima, na França. Além disso, deve ser elaborado com o método Tradicional ou Champenoise apenas com as uvas Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier.

Cava

O Cava é produzido na Espanha também pelo Método Tradicional ou Champenoise. Apesar de sua elaboração não estar restrita a uma única região, as uvas utilizadas devem ser originárias de vinhedos autorizados, tais como as brancas Macabeo, Xarel.lo, Parellada, Malvasía, Chardonnay, e tintas, Garnacha, Monastrell, Pinot Noir e Trepat.

Dica de leitura:  Conheça o efeito agulha

Curiosidades sobre o Prosecco

– Além do espumante Prosecco, a legislação permite produzir Prosecco Frisante e Prosecco Tranquilo (sem presença de gás), porém, com especificações de elaboração diferentes do espumante. Inclusive, esses outros estilos são produzidos em quantidades menores.

– Puccino foi o primeiro nome da variedade que compõe o Prosecco, que agora é conhecida como Glera.

– O famoso coquetel italiano Bellini é elaborado com Prosecco e suco de pêssego.

– Para os amantes de viagens, existe a Estrada do Prosecco, uma das primeiras rotas do enoturísticas da Itália.

– Há um projeto para nomear as colinas de Conegliano Valdobbiane, área de produção do Prosecco, como Patrimônio Mundial da UNESCO. Saiba mais aqui.

Indicações de Proseccos

Agora que você já aprendeu tudo sobre Prosecco, é hora de degustar. Confira nossas indicações:

Espumante Fantinel D.O.C. Prosecco Extra Dry – Leve, com ótimo frescor e delicioso sabor frutado, esse Prosecco tem notas de frutas cítricas com toques florais.

Espumante Fantinel One & Only D.O.C. Prosecco Brut 2016 – Um prosecco vivo, saboroso, elegante e frutado, com aromas de limão siciliano, notas de acerola e nuance floral.

Espumante Fantinel The Independent Prosecco Denim Edition Brut 2015 – Com aroma de frutas e flores brancas, maçã e um delicado toque de pão, esse exemplar possui um paladar leve e delicioso.

Recomendamos para você:

( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
( )
R$##,##
Sócios ClubeW: R$##,##
CONFIRA
Escrito por: Taimmy Rodrigues

Sommelière, capixaba, com formação em História, Alta Gastronomia e em vinhos pela WSET.