Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Dicas

Vinho e sorvete: tudo o que você precisa saber sobre a combinação

23 setembro 2021
  • 398 visualizações
  • 0 comentários

A sobremesa gelada é muito querida pelos brasileiros e tem data comemorativa no calendário gastronômico. Mas será que combina com vinho? E existe sorvete de vinho? Descubra abaixo!

Assim como o vinho, o sorvete tem uma história que atravessa centenas e centenas de anos. Acredita-se que o doce cremoso e geladinho tenha surgido na China, mais de quatro milênios atrás, quando congelaram na neve uma sobremesa feita com leite e arroz.

Mas a guloseima foi difundida mesmo por volta do século 16, quando passou a ser mais popular em países como a Itália e a França

Já por aqui no Brasil, o sorvete ficou mais conhecido em meados de 1830, quando comerciantes do Rio de Janeiro compraram toneladas de gelo vindas em um navio americano, e passaram então a fabricar a doçura com frutas nativas.

Dica de leitura: Dos tintos aos fortificados: conheça os principais tipos de vinho

De tão querido e consumido pelos brasileiros, a Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvetes incluiu no calendário uma data só para comemorar a sobremesa! 

O dia 23 de setembro foi o escolhido por estar bem no início da primavera, quando as temperaturas começam a subir por aqui, dando ainda mais motivos para escolhermos o sorvete para refrescar o paladar.

E, embora possa parecer uma escolha inusitada, o sorvete também pode ter ligação com o vinho, tanto como sabor da sobremesa, quanto em harmonizações com vinhos mais doces. Vamos falar das duas opções!

Ouça também: Wineverso Podcast #64  – Série uvas: Sauvignon Blanc e Chardonnay

Primeiro sobre o sorvete de vinho, que pode ser preparado em casa sem muito mistério (confira abaixo a receita completa). 

Depois de pronto, ele pode ir à mesa de sobremesa sozinho, com calda ou outros acompanhamentos.

Sorvete de vinho 

Ingredientes 

– 1 garrafa(s) de vinho tinto de sua preferência

– Canela em pau (quantidade a gosto)

– 250ml de leite integral

– 30ml de creme de leite fresco 

– 4 gemas de ovo 

– 150g de açúcar refinado

Modo de preparo 

Primeiro, ferva o vinho com a canela em pau em fogo baixo até reduzir o volume. Assim que o líquido ficar mais espesso, retire a canela e reserve.

Aqueça o leite e o creme de leite fresco juntos, até que a mistura fique com a textura semelhante à de um creme. 

Em outro recipiente, bata as gemas e o açúcar refinado até que essa mistura aumente de volume. 

Junte ao leite com creme de leite aquecido, e leve para o fogo baixo até engrossar, mas sem deixar chegar a ferver.

Depois que esfriar, adicione o vinho reduzido com canela e leve para o congelador por no mínimo três horas. 

O resultado será ainda melhor, com o sorvete mais cremoso, caso você retire o sorvete algumas vezes para mexer antes de congelar. Sirva com calda ou para acompanhar outras sobremesas.

Combinando vinho e sorvete

A experiência de apreciar um bom vinho enquanto come uma sobremesa com sorvete também pode ser surpreendente. 

Mas, neste caso, é preciso saber fazer as escolhas certas para equilibrar as características do vinho e do sorvete.

Dica de leitura: Posso misturar diferentes tipos de vinho?

As melhores alternativas são os vinhos feitos com a uva Moscato, conhecidos por terem dulçor mais acentuado. Confira abaixo as sugestões da nossa equipe de especialistas e tim-tim!

Espumante Dancing Flame Moscatel

Alegre, fresco e bastante delicado, este espumante é perfeito para acompanhar sobremesas e doces. É uma boa aposta para combinar com abacaxi flambado ao rum com sorvete de coco, ou com torta de pêra com sorvete de creme. Versátil, também vai bem com tábua de queijos azuis. 

É elaborado pela renomada vinícola chilena Luis Felipe Edwards, com a Moscatel cultivada na região do Valle Central, e tem potencial de guarda de até dois anos. 

As notas olfativas lembram maçã verde, damasco e flores brancas. No paladar, é jovem e refrescante, com bom equilíbrio entre a acidez e a doçura.

Castillo Santa Barbara Moscato

Produzido na região de Castilla La Mancha, na Espanha, este vinho expressa a personalidade de um terroir incrível, com um clima de temperaturas extremas e características ideais para o cultivo de vinhas de qualidade. 

Antes de chegar às prateleiras, passa por uma segunda fermentação na própria garrafa. Sua temperatura ideal de serviço é 7 °C, e é um bom rótulo para ir à mesa ao fim do banquete, com uma sobremesa como sorvete de papaya com cassis, ou mesmo com uma tarte tatin com sorvete de creme.

Na taça, revela aromas de uva verde, flores brancas e pêssego. O paladar é cremoso e com acidez e açúcares equilibrados. 

Beni di Batasiolo Muscatel Tardì D.O.C. Piemonte Moscato Passito 2011

Este é um exemplar preparado por um método específico que consiste em secar naturalmente as uvas após a colheita. Após a evaporação da água contida nas uvas, sobra o açúcar, que ressalta os sabores presentes.

É elaborado pela vinícola Beni di Batasiolo na região do Piemonte, na Itália, com a Moscato Bianco, e tem potencial de guarda de até cinco anos. É um ótimo vinho para acompanhar doces como crepe de banana com sorvete de creme ou pastel de Belém.

Tem aromas de figo seco, mel, ameixas, damasco e pêssego em calda, mas também revela notas olfativas de flores secas e flor de laranjeira. Na boca, traz notas de mel e é persistente, com boa estrutura e intensidade. 

El Bautismo Blend De Blancas Dulces 2020

Um rótulo que mescla uvas brancas colhidas em diferentes pontos da Argentina: San Juan e Salta. Foi desenvolvido por um grupo de amigos enólogos denominado La Liga de Enólogos, especializado em vinhos descomplicados e que prezam pela sustentabilidade. 

Bom para ser degustado sem compromisso, com pedras de gelo, ou mesmo em harmonizações. Combina com sorvete de creme com abacaxi em calda. 

No nariz, lembra frutas maduras e lichia, além de ter toques florais e de mel. O paladar é igualmente frutado, doce, leve e com boa acidez. 

Frisante Ballade Rosé 2021

Um frisante jovem e moderno elaborado de acordo com práticas veganas pelo grupo Miolo, uma das vinícolas brasileiras mais importantes. A uva utilizada é a Moscatel cultivada no Vale do São Francisco

É um vinho com potencial de guarda de até dois anos. A temperatura ideal de serviço é 6 °C. No olfato, tem aroma intenso de frutas vermelhas frescas como morango, cereja e amora. 

O paladar é leve, refrescante e adocicado, com notas frutadas que também se sobressaem. Experimente-o com sorvete de morango ou de frutas vermelhas!

Agora que já sabe que é possível unir duas delícias como sorvete e vinho, que tal ter acesso a mais informações gastronômicas ligadas ao mundo de Baco? Acesse já a Winepedia e fique por dentro de tudo!

Escrito por: Wine