Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Enoturismo

Destaque do Novo Mundo: descubra a potência dos vinhos argentinos

16 junho 2021
  • 1409 visualizações
  • 0 comentários

Quinto país na lista dos maiores produtores de vinho do mundo, a Argentina se destaca pelo cultivo de uvas variadas e pelos rótulos de qualidade com bom custo-benefício

Um dos países de mais destaque no cenário da vinicultura nos tempos atuais, a Argentina estrela o quinto lugar da lista dos maiores produtores de vinhos do mundo. E não é pra menos!

O país possui mais de 200 mil hectares de vinhedos e entrega para o mundo rótulos de qualidade, muitos deles premiados, com excelente custo-benefício.

Dica de leitura: Tudo sobre degustação: desvende cada etapa e anote seus favoritos

Conta a história que a influência de italianos e de espanhóis teve papel crucial no desenvolvimento e na qualidade dos vinhos argentinos ao longo dos anos.

Com as mudanças significativas na economia do país durante a década de 1990, a moeda argentina passou a ser atrelada ao dólar americano, o que atraiu investidores para as vinícolas.

Saiba mais sobre o porquê dos vinhos argentinos terem tanto destaque!

Uvas argentinas de destaque

Os rótulos argentinos ganham seu prestígio a começar pela altitude dos vinhedos, que cria uma série de microclimas e faz com que as plantações sejam oásis verdes em meio aos desertos andinos. 

Algo também a se considerar é a distância do oceano, o que faz com que os sistemas de irrigação estejam presentes na maioria das vinícolas e fazendas.

A lista das castas de uvas cultivadas no país é longa! Entre as principais, destacam-se Malbec, Bonarda, Cabernet Sauvignon, Torrontés, Syrah, Merlot, Tempranillo, Sangiovese e Pinot Noir, entre outras. Cada uma delas carrega consigo as características de cada terroir

Entre os exemplares de vinhos argentinos preferidos do público do Novo Mundo, estão os elaborados com as uvas Malbec e Cabernet Sauvignon. 

São vinhos geralmente macios, ricos em suculência e elaborados ao estilo moderno como pede o paladar dos apreciadores.

Um passeio pelas regiões produtoras

Além da importância econômica, já que a Argentina atualmente exporta cerca de 25% de toda sua produção, as regiões vinícolas argentinas revelam um grande potencial turístico.

Os destinos integram a rota mundial do vinho e são visitas imperdíveis para os apreciadores de vinhos. 

Abaixo, conheça melhor os detalhes de cada uma das regiões!

Mendoza

Responsável por cerca de 70% da produção nacional, Mendoza é considerada a capital dos vinhos argentinos. Sua localização ao pé da Cordilheira dos Andes, combinada a outras características climáticas, faz com que o terroir seja considerado perfeito para a produção de vinhos. 

Malbec, Cabernet Sauvignon e Chardonnay são as que melhor se adaptam à região, que abriga vinícolas de destaque na nossa vitrine, como a Finca Eugenio Bustos, responsável pelos vinhos Altivo, a Las Perdices e a Terraza de los Andes.

San Juan

Segunda maior região produtora, San Juan é bastante quente e seca, pois fica em uma região de maior altitude que Mendoza. A Syrah é uma das uvas mais cultivadas em San Juan e divide as atenções com a tradicional Bonarda

Salta

Tem capacidade de produção inferior às outras regiões e é conhecida por abrigar os vinhedos mais altos do mundo. Alguns deles chegam a ficar a mais de 3.000m do nível do mar e possuem paisagens incríveis. Produz castas como Torrontés e Malbec. 

Patagônia

No extremo sul da Argentina, a Patagônia tem alguns dos vinhedos que ficam mais ao sul do globo terrestre, além de características diferentes das demais regiões do país, já que tem clima frio e seco. O destaque por lá é a Pinot Noir.

Confira a seleção de vinhos argentinos da Wine

Partridge Reserva Pinot Noir 2019
Traz a Pinot Noir amadurecida em barricas de carvalho francês. Tem corpo leve para médio, acidez agradável e taninos macios, e pode ir à mesa com gratinado de cogumelos, risoto de carne seca e queijo coalho, lasanha de linguiça, ricota e queijos duros.

Luigi Bosca Malbec 2018

Esse Malbec da Luigi Bosca, uma das mais tradicionais vinícolas argentinas, expressa fielmente as características da região de Luján de Cuyo. 

Suculento e elegante, possui acidez equilibrada, taninos doces, macios e um final de boca longo e marcante. Harmoniza com carnes assadas, lombo suíno com molho agridoce e queijos duros curados.

Que Guapo Malbec Blend 2019

Esse rótulo faz muito sucesso entre os brasileiros, graças ao frescor e ao final agradável. É ótimo para acompanhar pratos do dia a dia e também para ocasiões descontraídas entre amigos. 

Sirva-o com carnes assadas, espaguete à bolonhesa, pizzas variadas ou lasanha e se surpreenda!

1922 Torrontés 2020

Com aroma de frutas e notas cítricas, esse jovem vinho branco de Mendoza possui um paladar equilibrado, leve e com boa acidez. Pode ir à mesa para acompanhar salpicão de frango, pimentão recheado, espaguete com abobrinha, filé de peixe frito e bruschettas.

Salentein Killka Sauvignon Blanc 2020

Esse exemplar vem de um terroir excepcional. No paladar, tem acidez marcada e frescor. Combina com pratos como tilápia ao molho de alcaparras, iscas de frango, espetinho de camarão e outras refeições com frutos do mar.

Amauta Corte I 2019

Um vinho majestoso, blend de complexidade de Malbec, Cabernet Sauvignon e Syrah. Esse exemplar é de Salta, região famosa por acolher vinhas altas que geram vinhos de grande pureza e concentração de sabores e aromas. Pode acompanhar carnes assadas e massas.

Espumante Manos Negras Extra Brut
Um espumante elaborado pelo método Charmat Longo, ou seja, o vinho fica descansando mais tempo com suas borras em tanques de aço inox para dar mais complexidade e cremosidade ao espumante.

Vai bem com sushi, tilápia com crosta de amêndoas ou massas como ravióli de queijo de cabra ao molho de limão siciliano. 

Agora que já conhece mais detalhes sobre os vinhos argentinos, saiba como ler os seus rótulos e procure pelos seus favoritos em nossa loja ou no aplicativo. Aproveite!

Escrito por: Wine