Conheça os vinhos portugueses da vinícola Parras Wines | Wine
Ícone de seleção premiada

Uma seleção para paladar nenhum colocar defeito.

R$ ??,??
SÓCIO WINE
R$ ??,??
Não sócio R$ ??,??

R$ ??,??
SÓCIO WINE
R$ ??,??
Não sócio R$ ??,??

R$ ??,??
SÓCIO WINE
R$ ??,??
Não sócio R$ ??,??

Sobre a linha Alfacinha

Um vinho que nasceu com a essência portuguesa e cheio de histórias, tem no nome uma homenagem à cidade de Lisboa e seus habitantes. O termo "Alfacinha” é uma expressão popular do século XIX que faz referência a quem nasceu e foi criado na capital de Portugal.

A linha contém vinhos secos e meio-secos, além de tintos e brancos. Com amadurecimentos em tanques de aço inox ou em breve passagem por barricas de carvalho, os rótulos oferecem ao paladar bastante fruta, finais agradáveis, além de corpo médio e boa acidez. Tem sempre um Alfacinha que harmoniza com seu bom gosto.

O Castelo dos Mouros

Este rótulo faz referência ao castelo localizado em uma elevação de encostas suaves, na região do Alentejo Central, onde a tranquilidade e a grandeza se encontram.

Ainda não se sabe se o Castelo dos Mouros foi desconstruído ou nunca concluído - o mistério fica no ar.

Seus vinhos são conduzidos com blends de uvas especiais, secos e percebidos no olfato por suas frutas vermelhas maduras e, no paladar, se torna equilibrado e com bom final.

Origem

As regiões vinícolas de Lisboa e Alentejo

Atualmente, a Parras Wines é composta por:

- 120 hectares de vinha em Lisboa, apontada por especialistas como um dos locais de maior futuro na produção vinhos e caracterizada por seu solo de calcário argiloso e clima atlântico temperado;

- 90 hectares de vinha no Alentejo, região com certificação de Denominação de Origem Controlada (DOC), clima quente e seco, e solos diversos (como xisto, argila, mármore, granito e calcário);

- E a exploração de 20 hectares de vinhas velhas, nas Gaeiras, região vinícola de Lisboa.

Mapa do Chile que indica a região do vale Cachapoal

Dicas para harmonizar com nossos vinhos

Hambúrguer de carne

Um bom hambúrguer é feito com carne moída e um parcela generosa de gordura. Por isso, é importante escolher um vinho com taninos marcantes, assim ele ajuda a limpar o paladar da gordura, além de auxiliar na mastigação. O Alfacinha Reserva RL e o Alfacinha Regional Lisboa Tinto têm estrutura perfeita para esse tipo de harmonização.

Fondue Queijo

O ideal é optar por um branco com frescor e textura encorpada, pois o queijo derretido é pesado e gorduroso e um vinho leve morreria na combinação. Uma boa opção é o Alfacinha Regional Lisboa Branco. Para quem não abre mão de um tinto, opte por um mais leve, meio seco e com acidez elevada, como o Alfacinha Regional Lisboa Tinto.

Bacalhau

Mesmo sendo um peixe, a harmonização nem sempre é feita com vinho branco. Os ingredientes que compõem a receita e o modo de preparo que irão ditar o vinho. Um lombo de bacalhau assado, por conta de sua textura fibrosa, suporta um tinto, como o Castelo dos Mouros Colheita Tinto. Já uma salada de bacalhau ou bolinho de bacalhau, vão melhor com um branco de boa acidez, como o Alfacinha Regional Lisboa Branco.

Farofa

Farofa pode ter diferentes versões. Quando ela é recheada com carne seca, linguiça, bacon ou outro ingrediente estruturado, é possível escolher um tinto de intensidade média, como o Alfacinha Regional Lisboa Tinto. Receitas preparadas com legumes, banana, verduras ou ovos, vão melhor com um branco de textura cremosa, como o Alfacinha Regional Lisboa Branco.

Explore

O universo Parras Wines