Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Enoturismo

VIK: arquitetura de luxo e vinhos chilenos de excelência

23 setembro 2021
  • 183 visualizações
  • 0 comentários

Primeira vinícola sob a filosofia holística do mundo, a VIK produz rótulos de altíssima qualidade a 200 quilômetros de Santiago. Conheça mais!

Alçados à categoria dos “superchilenos” (que reúne os vinhos icônicos produzidos nos terroirs do Chile), os rótulos da VIK se destacam por serem complexos mas fáceis de beber, aliando sofisticação a uma filosofia própria que prioriza a sustentabilidade em toda a cadeia de produção da bebida.

Localizada aos pés da Cordilheira dos Andes, numa região entre vales e montanhas a cerca de 200 quilômetros de Santiago, onde o vento é naturalmente frio, a VIK começou a ser pensada em 2004 pelo norueguês-uruguaio Alex Vik e sua esposa, Carrie. O casal se empenhou em desenvolver vinhos de alta qualidade na América Latina. 

Dica de leitura: Esteban Martín: referência espanhola em tradição e sustentabilidade

Sob a filosofia holística, que visa compreender os fenômenos da vida por completo, a VIK busca o equilíbrio entre o homem, a terra, o clima e os recursos tecnológicos que fazem parte do processo de elaboração dos vinhos. 

É a primeira vinícola do mundo que trabalha sob princípios holísticos. Da colheita ao envase, as atividades são acompanhadas de perto pelo enólogo Cristian Vallejo, que cuida de cada detalhe sem tirar o foco do principal: o próprio vinho. 

As vinhas do grupo estão divididas por 12 pequenos vales espalhados pelo Millahue, conhecido também como “lugar do ouro”. Por lá, a VIK investe nas uvas bordalesas, como Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Carménère e Merlot, entre outras.

Os microclimas distintos proporcionam condições perfeitas para o desenvolvimento dos vinhos da marca. Do cultivo à vinificação, todos os processos são orgânicos e biodinâmicos.

O resultado deste trabalho dedicado se reflete na carta de vinhos da VIK, que inclui três linhas de sucesso: VIK, La Piu Belle e Milla Cala. 

Sob o olhar atento do enólogo Cristian Vallejo

O enólogo Cristian Vallejo costuma comparar os vinhos da VIK a livros. Para o especialista, cada taça é um novo capítulo, e cada gole é uma nova página, que conta a história do terroir e da paixão pelo ofício de produzir vinhos.  

Vallejo comanda pessoalmente a colheita, iniciada sempre à noite e finalizada por volta de 6h do dia seguinte, para que as uvas não comecem a fermentar antes da hora. 

Ouça também: Série uvas – Cabernet Sauvignon

A retirada das uvas durante a madrugada garante a integridade das frutas, e permite que o restante do processo seja feito em sintonia com o ecossistema, conforme define a filosofia seguida pela VIK. 

Atualmente, até mesmo as ânforas utilizadas para a fermentação da bebida são produzidas na propriedade, com argila também extraída do local. 

Os barris de carvalho seguem o mesmo princípio, fabricados com árvores nativas do Valle del Millahue.

Hotel e atrações turísticas luxuosas 

Com 4,3 mil hectares, o parque da vinícola chilena tem diversas atrações para os visitantes. O hotel é uma referência arquitetônica à parte, com decoração de requinte, pensada para impactar pouco a paisagem local.

Quartos de luxo e piscina de borda infinita com vista panorâmica das montanhas e dos vinhedos são apenas alguns dos destaques do local.

Além de hospedagem, são oferecidas degustações com o acompanhamento de especialistas, visitas guiadas à vinícola, passeios de cavalo pelos vinhedos e mais. 

Quer saber mais sobre os vinhos da VIK? Confira as sugestões dos nossos especialistas abaixo!

Conheça os vinhos produzidos pela VIK disponíveis na Wine

Vik 2014

Um dos carros-chefes da vinícola, este rótulo é um blend entre as castas Cabernet Franc, Carménère, Merlot, Syrah e Cabernet Sauvignon. 

É um vinho elegante e longevo, que passa cerca de dois anos amadurecendo em barricas de carvalho francês, e depois mais dois anos nas garrafas, que ficam armazenadas nas caves da vinícola antes de ganharem as adegas mundo afora. 

O Vik 2014 tem potencial de guarda de até nove anos, e revela aromas de frutas vermelhas e frutas negras maduras, além de toques de especiarias e notas de tabaco e tosta. 

O paladar é sedoso e fino, com bom corpo e complexidade, taninos maduros e final elegante. Ideal para ir à mesa a 16 °C, o vinho tinto harmoniza com stinco de cordeiro ao próprio molho, filé mignon ao molho madeira com purê de mandioquinha, com risoto de cogumelos ou com bife ancho com legumes. 

Também acompanha bem carnes vermelhas preparadas na brasa.  

Vik A Rosé 2021

Um blend delicado e sofisticado entre as castas Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e a Syrah, elaborado exclusivamente com uvas do Valle del Millahue.

É um rosé cheio de frescor e com acidez bem equilibrada, indicado para reinar nas taças durante uma reunião entre amigos, à beira da piscina ou do mar, ou até mesmo em uma refeição com pratos leves.

O vinho passa por amadurecimento em tanques de aço inox, e depois de engarrafado tem potencial de guarda de até três anos. O ideal é servi-lo a uma temperatura de 10 °C.

As notas olfativas remetem a frutas vermelhas frescas como morango e a pêssego. Na boca, é um rosé leve, fresco e jovem. 

Bom para acompanhar salmão grelhado com legumes, sushi e sashimi, bolinho de bacalhau ou de arroz, além de ceviche e salada de rúcula com morangos.

Vik A Limited Edition Cabernet Sauvignon 2020

Extremamente elegante, é um vinho com mineralidade e uma sensação sedosa bem particular no paladar, resultado da combinação entre as uvas Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc colhidas no Valle del Cachapoal.

Para ganhar mais complexidade, este exemplar descansa durante nove a doze meses em barricas de carvalho francês. Depois de engarrafado, ainda tem potencial para ficar guardado por até sete anos.

As notas olfativas deste tinto remetem a frutas negras, vermelhas e a frutas secas, além de especiarias. Na boca, os taninos são sedosos e suaves, com bastante corpo e final persistente. 

É um bom vinho para acompanhar pratos com carne, como stinco de cordeiro e medalhão de mignon, mas também vai muito bem com risoto de bacon, penne ao pomodoro ou lasanha de berinjela caprichada no queijo. 

La Piu Belle 2017

Com aromas inspirados em flores azuis como a violeta e a lavanda, este rótulo revela uma combinação perfeita de sabores que lembram frutas pretas como amoras e ameixas e especiarias finas.

É um vinho requintado, que passa 23 meses em amadurecimento nos barris de carvalho francês fabricados na própria vinícola. Uma boa pedida de vinho tinto para ocasiões especiais.

O paladar é fresco e sedoso, com taninos redondos e final longo. Harmoniza à mesa com pratos untuosos como peito de pato defumado, salmão e risoto de cordeiro. De dar água na boca!
E você, já provou algum rótulo produzido pela vinícola chilena VIK? Conheça outras vinícolas e mais informações sobre o universo dos vinhos na Winepedia!

Escrito por: Wine