Abrir Menu Fechar Menu Abrir Campo de Pesquisa Fechar Search
Curiosidades

Graduação alcoólica: confira dicas de vinhos do menor para o maior teor alcoólico

03 dezembro 2021
  • 350 visualizações
  • 0 comentários

O álcool se revela em todas as fases da degustação dos vinhos, do olfato ao paladar. Veja a lista em ordem crescente dos vinhos mais leves para os mais alcoólicos e saiba mais sobre o assunto!

Elemento-chave na composição dos vinhos, o álcool é responsável por dar textura e corpo à nossa bebida favorita, e é fácil de ser notado em todos os sentidos envolvidos em uma degustação.

O volume alcoólico colabora com o dulçor e com a maciez que sentimos no paladar, e também se revela na percepção de ardência ou queimação na boca e na garganta.

Além disso, interfere no perfil aromático do rótulo, e também ajuda na conservação do vinho com o passar do tempo. 

Dica de leitura: Vinhos nacionais: saiba mais sobre a produção e rótulos imperdíveis

No Brasil, a regulamentação estabelece que o teor de álcool venha descrito no rótulo da bebida:

  • Os vinhos finos, elaborados apenas com uvas Vitis vinifera, devem ter de 8,6% a 14% em volume de álcool
  • Os vinhos tranquilos, que não possuem gás e não são fortificados com aguardente vínica, costumam ter entre 10 e 15% de álcool
  • Abaixo de 8,6% (até o mínimo de 7%), a bebida será classificada como vinho leve, que é mais ácido e menos tânico que o vinho tranquilo
  • Já os vinhos conhecidos como licorosos ou fortificados (como o vinho do Porto) têm entre 14% e 18% de álcool, segundo a legislação brasileira, mas alguns exemplares importados podem chegar a 22% de álcool

É importante saber que esses números podem variar de acordo com a colheita e o tipo das uvas, com o terroir, tempo de fermentação e outros fatores envolvidos.

Dica de leitura: Conheça os principais países produtores de vinho do mundo

Outro ponto importante a se ressaltar é que o volume de álcool não nos diz muito sobre a qualidade de um vinho, que deve ser analisado a partir do equilíbrio entre todas características que compõem o exemplar a ser apreciado. 

Então, vamos direto ao ponto: quais são estes vinhos menos alcoólicos? E quais são os mais alcoólicos? Confira abaixo a lista em ordem gradual.

Frisantes se destacam entre os vinhos leves 

Durante o processo de produção, os vinhos frisantes passam apenas uma vez pela fase de fermentação, sem o uso do vinho-base. As famosas bolhas de gás carbônico podem surgir de forma natural ou artificialmente.

Por conta das diferenças no método de preparo, os frisantes costumam ter graduação alcoólica de 7% a 8%, em média, enquanto os espumantes podem chegar a ter mais de 12% de volume alcoólico. 

Veja as sugestões de rótulos menos alcoólicos disponíveis na Wine!

7% – Frisante Ballade Moscatel Branco Suave 2021

Elaborado com uvas Moscato da região do Vale do São Francisco, na Bahia, este frisante tem 7% de álcool, e é feito por meio do método de fermentação natural Charmat. 

É um frisante branco descomplicado, fácil de beber e indicado para momentos descontraídos entre amigos ou para harmonização em um dia quente.

Tem intensos aromas florais que lembram rosas e jasmim, além de um toque frutado que remete a manga e a melão. O paladar é refrescante, com ótimo equilíbrio entre acidez e doçura.

É um vinho mais leve, bom para acompanhar frutos do mar, atum selado com gergelim, dadinho de tapioca, acarajé ou risoto de camarão.

7,5% – Frisante Porta Soprana Lambrusco I.G.P. Emilia Rosé Amabile Suave

Fabricado pelo mais antigo produtor de lambruscos da região italiana da Emilia Romagna, a vinícola Chiarli, este frisante é versátil e fácil de agradar, com 7,5% de teor alcoólico.

Os aromas de frutas vermelhas frescas, como morango, cerejas e amoras, se sobressaem no olfato. O paladar também é frutado, com bastante refrescância e uma doçura harmoniosa.

O ideal é que este frisante rosé seja servido a uma temperatura de 7 °C, com pratos como tortas salgadas, sanduíches, pizzas, quiche de palmito ou com petiscos como bolinho de arroz. 

Imagem ilustrativa para post sobre graduação alcoólica dos vinhos.

Na faixa intermediária, de espumantes a vinhos tintos

Entre os vinhos que estão entre os mais leves e os mais alcoólicos, figuram vinhos de diversos tipos: brancos, tintos, e espumantes

Os que têm volume de álcool abaixo dos 13% tendem a ser menos encorpados e mais refrescantes no paladar, mas as características de cada um variam de acordo com a região de origem, a uva escolhida, entre outros fatores.

Agora, uma curiosidade: com exceção dos fortificados, os vinhos não costumam ultrapassar o limite de 15% de álcool, porque as leveduras não sobrevivem nos ambientes com alto teor alcoólico. 

Conheça a seguir sugestões variadas de vinhos entre 9% e 14% de volume alcoólico:

9,5% – Piranha D.O.C. Vinho Verde 2020

Este blend entre as uvas Trajadura, Loureiro e Arinto apresenta todas as características marcantes das castas da região dos vinhos verdes. O teor de álcool é de 9,5%.

Os aromas autênticos de frutas cítricas como lima e limão dão passagem ao paladar fresco e jovem, com boa acidez. 

Acompanha peixes, frutos do mar, saladas, salgadinhos fritos ou pratos com frango grelhado.

11% – Heredad Vegarte Verdejo Sauvignon Blanc

Este branco espanhol tem sabor cítrico e leve, e é indicado para consumo à beira da piscina ou para refrescar o paladar nos dias mais quentes. 

Com 11% de teor alcoólico, é produzido com as uvas Verdejo e Sauvignon Blanc

O ideal é que o vinho seja servido a uma temperatura de 8 °C, com pratos como salpicão de frango, peixes grelhados ou risoto de camarão, que entram em sintonia com a maciez da bebida.

12,2% – Miles from Nowhere Rosé 2019

Um rosé australiano que nasce da combinação entre as uvas Shiraz, Sauvignon Blanc e Viognier. Tem frescor no paladar, e pode ser consumido sozinho, ou harmonizado com pratos leves como suas características.

Seu teor alcoólico é de 12,2%. As notas olfativas remetem a frutas como morango, framboesa e cereja. 

Na boca, é suculento e tem acidez bastante equilibrada. Combina com frango thai, comida japonesa ou penne com salmão e vagem.

12,3% – Espumante Chandon Excellence Cuvée Prestige Rosé Brut 

Produzido pela Chandon do Brasil, este espumante tem 12,3% de volume alcoólico, e traz aromas de frutas vermelhas como morango e framboesa, além de notas de pão e trufas. 

O paladar é frutado, cremoso, com boa acidez, ideal para acompanhar risotos leves, ceviche, tomates recheados e moqueca.

12,80% – JP Azeitão Seleção do Enólogo Moscatel Graúdo Fernão Pires 2020

Aromático e com um estilo que agrada com facilidade, este exemplar apresenta 12.80% de graduação alcoólica. Produzido pela Bacalhôa Vinhos de Portugal, um dos mais renomados produtores do país, o rótulo branco é feito com duas uvas nativas de Portugal, a Moscatel Graúdo e a Fernão Pires.

Por ser um vinho leve e com boa acidez, a aposta deve ser em pratos leves, ou frituras devido à acidez. A nossa dica é investir em peroá com fritas, bolinho de bacalhau, frango à milanesa, batatas recheadas com ricota e espinafre.

13% – Terras de Estremoz Special Selection Regional Alentejano Branco 2018

Vinho jovem e intenso com muita fruta, aromas de abacaxi e pêssego. Na boca sabor frutado persistente. Ótima combinação com mariscos mais elaborados como por exemplo lagosta e peixe grelhado.

Com 13% de álcool e aromas de intenso de abacaxi e pêssego com notas minerais, é um branco bom para acompanhar peixe grelhado ou no forno, carnes brancas ou de caça.

14% – Fleur du Cap Essence du Cap Shiraz 2016

Direto da região de Western Cape, na África do Sul, este exemplar reflete o terroir expressivo em que é produzido. 

Tem 14% de teor alcoólico, o que é comum em vinhos tintos feitos em regiões mais quentes, e passa 14 meses em barricas de carvalho francês e americano. 

O paladar tem taninos presentes e corpo médio para encorpado, com final amadeirado. Combina com maminha ao molho de ervas, carne seca com abóbora ou com risoto de linguiça defumada. 

Imagem ilustrativa para post sobre graduação alcoólica dos vinhos.

Vinhos fortificados: álcool acima dos 14%

Os vinhos mais alcoólicos encontrados nas adegas costumam ser os licorosos, ou fortificados

Como já foi dito, a legislação brasileira define que os vinhos licorosos devem ter entre 14 e 18% de álcool, mas em outros países a regulamentação varia, e alguns rótulos podem chegar a ter 22% de volume alcoólico. 

Durante o preparo destes vinhos, é adicionada uma quantidade de aguardente vínica, espécie de bebida destilada feita a partir do mosto da uva. 

Isso interfere na fermentação e confere mais “peso” ao vinho, que geralmente tem sabor mais amadeirado por conta dos processos de envelhecimento.

Abaixo, conheça as sugestões de vinhos mais alcoólicos oferecidos pela Wine!

18% – Old John Marsala Superiore Riserva Ambra Semisecco Doc 1998

Elaborado a partir de um blend entre as uvas Inzolia, Catarratto e Grillo, este vinho licoroso meio seco passa quatro anos em barricas de carvalho, depois mais seis meses em pipas. 

Com teor alcoólico de 18%, é um vinho com história e alto potencial de guarda (até 25 anos). Tem aromas de damasco, tomilho e pimenta preta. 

No paladar, tem o álcool bem presente, com notas de damasco e frutas cristalizadas. Vai bem à mesa com queijos como ricota, gorgonzola, parmesão e sobremesas como tiramisù e cheesecake.

19% – Marsala Vergine Soleras Dop

Este vinho licoroso seco produzido pela Cantine Pellegrino traz aromas amadeirados, com nuances de frutas secas e especiarias. 

Com teor alcoólico de 19%, é um blend entre as uvas Grillo e Catarratto, e passa cinco anos em barricas para amadurecimento. Depois de engarrafado, ainda tem mais oito anos de potencial de guarda.  

O paladar é seco, maduro e harmonioso, tornando-o uma boa opção para degustação com queijos fortes, frutas secas, nozes e cheesecake. 

20% – Porto Burmester Extra Dry White

Um vinho do Porto branco pouco conhecido, elaborado pela tradicional vinícola Burmester com castas conhecidas do Douro. Com teor alcoólico de 20%, é um exemplar que faz valer a aventura sensorial. 

Os três anos de amadurecimento em carvalho e em tanques de aço inoxidável garantem ao vinho notas olfativas de melão, limão, pêssego, mel e baunilha.

Na boca, é um vinho com bom corpo, fresco, frutado e untuoso, com notas de madeira. Harmoniza com sobremesas à base de frutas secas ou cristalizadas, com bolo de nozes, panetone e queijos como brie e camembert.

Agora que tirou suas dúvidas sobre vinhos mais e menos alcoólicos, que tal aprender um pouco mais sobre as variedades de uvas? No episódio #66, o Wineverso Podcast traz curiosidades e informações sobre as cepas Garnacha e Tempranillo. Dê play e saúde!

Escrito por: Wine